Espaço sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 7 de novembro de 2012 as 09:56, por: cdb

Em solidariedade aos trabalhadores europeus, representantes das centrais sindicais brasileiras vão entregar ao consulado da Espanha em São Paulo uma carta de apoio aos companheiros e de protesto contra a política econômica dos europeus

07/11/2012

da Redação


Apoio à greve geral na Europa

Está programada para o dia 14, a greve geral na Europa contra a política de arrocho implantada pelos governos de vários países, especialmente da Espanha, Itália, Portugal e Grécia. Em solidariedade aos trabalhadores europeus, representantes das centrais sindicais brasileiras – Força Sindical, CUT e UGT – vão entregar ao consulado da Espanha em São Paulo uma carta de apoio aos companheiros e de protesto contra a política econômica dos europeus. Nair Goulart, presidente adjunta da Confederação Sindical Internacional (CSI), explicou que os trabalhadores dos países citados enfrentam recessão, desemprego, corte de direitos e 53% dos jovens estão desempregados na Espanha.

 

Palestina

Nair informou ainda que será realizado entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro, um ato de apoio aos palestinos, para que eles tenham o direito de ter reconhecido o Estado da Palestina. A manifestação será em Porto Alegre e a organização será das centrais sindicais e da CSI.

 

13º dos metalúrgicos do ABC

O pagamento do 13º salário dos 104,2 mil trabalhadores da base do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC vai injetar R$ 436 milhões na economia, valor que representa 24,6% dos R$ 2,2 bilhões que serão pagos aos trabalhadores formais na Região (815,8 mil). Esse valor é 5% maior que o de 2011. A estimativa é da Subsessão Dieese do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. O salário médio na base (São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra) é de R$ 4,1 mil. Nas sete cidades da Região, a soma do 13º dos 1,2 milhão de trabalhadores (815,8 mil formais e 449,1 mil benefi ciários da Previdência) está distribuída dessa forma: 36,2% da indústria de transformação; 23,2% do setor de serviços; 9,0% do comércio; 5,6% da administração pública; 3,2% da construção civil e 22,4% dos aposentados e pensionistas.

 

Viracopos paralisado

Os 300 trabalhadores das obras de ampliação do aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP) estão paralisados. O Consórcio Construtor Viracopos, que gerencia a obra, não chegou a um acordo com os trabalhadores. Os trabalhadores reivindicam o pagamento dos seus salários para o 1º dia útil, já que não recebem adiantamento de salário conforme Cláusula 6ª da Convenção Coletiva de Trabalho 2012/2013, pagamento da PLR, plano de saúde, alimentação e folga de campo. Além disso, para as áreas de convivência, reivindicam banheiros químicos e chuveiros.

 

Defasagem salarial

Mais de 180 dirigentes de sindicatos de metalúrgicos de todo o país se reuniram entre os dias 6 e 7 de novembro na 1ª Conferência Nacional de Negociação Coletiva. A atividade, promovida pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) em sua sede (São Bernardo do Campo/ SP), teve o objetivo de definir pauta única de reivindicações que norteará a campanha pelo Contrato Coletivo Nacional de Trabalho da categoria. No total, a confederação representa mais de um milhão de metalúrgicos no Brasil. Segundo o presidente da entidade, Paulo Cayres, é preciso acabar com as desigualdades salariais e de condições de trabalho existentes. “Será a primeira vez que uma pauta de negociação será construída por todos os presidentes de sindicatos filiados à confederação”, revela.

 

Combate as OSs em SC

No dia primeiro de novembro, estiveram reunidos na Assembleia Legislativa (Alesc), em Florianópolis (SC), diversos representantes de movimentos sociais e sindicais catarinenses que debateram sobre a instalação das OSs no estado e seus males para a sociedade. A plenária, que foi uma iniciativa da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), propôs organizar todos os movimentos do estado a fim de fazerem ações de conscientização e sensibilização da população e do poder público para combater esta prática de transferência de responsabilidade do governo para uma entidade privada, tornando-se uma forma de privatização.

 

Consciência negra

Para marcar o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), a CUT realizará durante o mês de novembro diversas atividades por todo o Brasil. São atos, manifestações, eventos culturais que vão celebrar os avanços conquistados e cobrar mais empenho das três esferas governamentais na promoção de políticas afirmativas que visem superar as desigualdades social e racial e erradicar o preconceito e a discriminação no Brasil.

Espaço sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 19 de setembro de 2012 as 08:37, por: cdb

O Projeto de Lei nº 4.330/04, que regulamenta a terceirização, é alvo de críticas de sindicatos e outras entidades que defendem os trabalhadores

 

19/09/2012

da Redação

 

OIT adverte sobre desemprego

Dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) revelam que a chance de ficar desempregado é três vezes maior para os jovens. De acordo com o documento Panorama mundial do emprego: perspectivas pouco animadoras para os jovens no mercado laboral, mais de 75 milhões de jovens estão em busca de trabalho em todo o mundo.

PL da terceirização

O Projeto de Lei nº 4.330/04, que regulamenta a terceirização, é alvo de críticas de sindicatos e outras entidades que defendem os trabalhadores – eles acusam a proposta de enfraquecer os direitos dos empregados, visando assim reduzir os custos das empresas. Essas críticas deram a tônica da audiência pública que a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado (CDH) realizou, no dia 6 de setembro. Atualmente a matéria tramita na Câmara dos Deputados. Se for aprovada, passará então a tramitar no Senado.

Intimidação e tiros

Na posse da diretoria do Sindiquímica- PR, que representa os trabalhadores da Vale Fertilizantes, nove disparos foram realizados, seis deles alvejando a sede sindicato, no dia 14 de setembro. As pessoas que ainda se encontravam no local, ao final da solenidade, foram surpreendidas com a presença de um indivíduo que disparou contra todas as janelas da sede do sindicato, evadindo-se em seguida. As perseguições são recorrentes no interior da empresa, tanto que o saldo da última negociação salarial foi a demissão de 12 trabalhadores e 5 advertências, além do descumprimento do Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado perante o Ministério Público do Trabalho pela Ultrafértil, que integra a Vale Fertilizantes, da Vale S. A.

Unioeste aprova greve

Os técnicos administrativos das universidades estaduais do Paraná iniciam uma mobilização grevista. A categoria reclama da falta de condições de trabalho, da atual estrutura da carreira e direitos já consolidados que não estão sendo cumpridos. De acordo com os sindicatos da categoria, o governo Beto Richa (PSDB) não vem implementando o que havia sido prometido. Os servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) entraram em greve a partir do dia 11 de setembro.

Luta por 8% de reajuste

Os Metalúrgicos de Taubaté (SP) aprovaram em assembleia geral realizada dia 16, o índice de 8% de reajuste salarial como referência nesta Campanha Salarial 2012. Dessa forma, as mobilizações e paralisações serão intensificadas para que os trabalhadores sejam contemplados com o reajuste.

8% no setor de Fundição

A Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT (FEM-CUT/SP) aceitou a proposta de reajuste salarial de 8%, apresentada pela bancada patronal do setor de Fundição. O reajuste equivale a 5,39% de reposição da inflação calculada pelo INPC na data-base da categoria, em 1º de setembro, mais 2,5% de aumento real. “Vamos continuar a pressão para que as demais bancadas patronais também avancem”, afirma o presidente da FEM, Valmir Marques (Biro-Biro).

Inglaterra pode ter greve geral

O congresso do Trade Union Congress, central que reúne 54 sindicatos e representa 6,2 milhões de trabalhadores ingleses, aprovou moção de apoio a uma greve geral. O movimento visa combater as medidas econômicas do governo, que corta programas sociais como forma de conter os efeitos da crise na Europa. O jornal The Guardian mostra que 79% de seus leitores apoiam a paralisação. A última greve geral na Inglaterra foi em 1926.

Acordo sobre dias parados

Um Termo de Acordo que regulamenta a reposição do trabalho resultante da greve ocorrida no Incra, no período de junho a setembro de 2012, bem como sobre a devolução do salário descontado referentes aos dias não trabalhados, foi assinado dia 14 entre a presidência da autarquia, a Condsef, Cnasi e Assinagro. Segundo o presidente do Incra, Carlos Guedes, a aceitação de um acordo pela direção da autarquia ocorreu depois de longa conversa com o ministro do MDA, Pepe Vargas.

Bancários fazem greve

Os bancários realizam, a partir do dia 18, greve por tempo indeterminado. A Fenaban não apresentou uma proposta que contemple as reivindicações da categoria sobre remuneração, emprego, saúde e condições de trabalho, segurança e igualdade de oportunidades. Os bancários rejeitaram a proposta dos banqueiros de 6% de reajuste (apenas 0,58% de aumento real).

Espaço sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de agosto de 2012 as 07:59, por: cdb

As principais centrais sindicais divulgaram, dia 12, carta de apoio à greve dos servidores federais em todo o Brasil, repudiando o governo no trato na demanda dos trabalhadores

 

15/08/2012

 

da Redação

 

Apoio à greve de servidores

As principais centrais sindicais do país divulgaram, dia 12, carta de apoio à greve dos servidores federais em todo o Brasil. O documento, assinado pelos presidentes da CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT, repudia o que chama de “autoritarismo” do governo no trato das demandas dos trabalhadores. O comunicado também defende o aprofundamento das negociações para a normalização dos serviços públicos afetados. A paralisação já conta com mais 30 categorias e 350 mil servidores, entre policiais federais, fiscais da receita, inspetores da vigilância sanitária, professores e outros.

 

Reclamação à OIT

Entidades representativas dos servidores públicos federais (Anffa Sindical, CUT, Condsef, Sindifisco Nacional, Sinagências e Fenasps) encaminharam nesta semana reclamação à Organização Internacional do Trabalho denunciando o decreto nº 7.777/12 que autoriza a substituição de servidores públicos federais em greve por servidores estaduais, municipais ou pela terceirização. As entidades entendem que a OIT deve intervir junto à República Federativa do Brasil, por violar princípios gerais e direitos da classe trabalhadora do serviço público, dispostos nas Convenções e Recomendações da OIT referendadas pelo Brasil.

 

Estatização do sistema financeiro

O Itaú, que recentemente comprou o Unibanco, demitiu nos últimos quinze meses cerca de 11.500 bancários em todo o país, situação que levou mais de 700 bancários e bancárias presentes na 14ª Conferencia Nacional da categoria a aprovarem, por unanimidade, a proposta de estatização do sistema financeiro.

 

Público e privado nos hospitais

No dia 8, aconteceu em Curitiba o seminário “Ebserh: verdades e mentiras”, promovido por sindicatos, com o objetivo de mostrar para a comunidade acadêmica os problemas relacionados à privatização dos hospitais universitários pelo governo por meio da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Mesmo constituída como empresa pública, a Ebserh seguirá as normas do direito privado, prejudicando a comunidade acadêmica e a sociedade.

 

Contra precarização de hospital

Funcionários do Instituto de Infectologia Hospital Emílio Ribas e movimentos sociais realizaram, dia 7, ato contra o sucateamento do órgão. Eles denunciam que isso ocorre devido ao processo de privatização pelo qual passa o Instituto. Há três anos a Secretaria de Estado da Saúde transferiu a gestão do hospital para a Organização Social de Saúde (OSS) Fundação Faculdade de Medicina. Em defesa de um atendimento de qualidade, os manifestantes promoveram um abraço no prédio do hospital para alertar e conscientizar a população e usuários sobre a precária situação da instituição. Rosimeire da Silva, fotógrafa do hospital Emilio Ribas, relata que houve uma maior precarização da estrutura e do atendimento após o acordo.

 

Fiscais federais iniciam greve

O Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), categoria ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, iniciou greve no dia 6 de agosto em todo o país. A reivindicação é a reestruturação da carreira e o reforço do efetivo por meio de concurso público. No Brasil, apenas 3,2 mil profissionais – entre engenheiros agrônomos, médicos veterinários, químicos, farmacêuticos e zootecnistas – atendem todo o país na garantia da qualidade do alimento dos brasileiros. O órgão passou mais de 21 anos sem realizar concurso público e, em 2001, 2004 e 2006 solucionaram parte do problema com a entrada de 1,4 mil fiscais. Mas os fiscais trabalham em situação limite e precisam da contratação de 1,5 mil novos profissionais.

 

Aprovação da redução da jornada

A I Conferência Nacional do Emprego e Trabalho Decente terminou, dia 11, em Brasília, com avanços fundamentais para a classe trabalhadora. Propostas de redução da jornada, liberdade e autonomia sindical, combate à prática antissindical e igualdade entre gêneros foram aprovadas na plenária final. O próximo passo é reunir a comissão organizadora da conferência para sistematizar os pontos aprovados e construir o Plano Nacional de Trabalho Decente. Paralelo a isso, o governo federal deve retomar o Grupo de Trabalho Tripartite para construir essa agenda. Para a classe trabalhadora, a aprovação dos eixos passa a servir como referência em disputas nos espaços de formulação de propostas, inclusive políticas públicas.

Espaço sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 27 de junho de 2012 as 09:47, por: cdb

A CUT/SP realiza, dia 29, um ato pela mobilidade urbana com o objetivo de alertar para o descaso e a falta de investimentos no transporte público em todo o estado de São Paulo

 

27/06/2012

 

da Redação

 

Demissão para espalhar terror

Em 12 dias a Cemig demitiu quatro eletricitários com estabilidade no emprego, sem qualquer justificativa. No dia 1º de junho, a empresa demitiu o técnico de segurança no trabalho mais antigo da Cemig, que também é dirigente sindical, Paulo Marinho. No dia 12 de julho, três técnicos da base Itambé – Cláudio Coelho, Goethe Eduardo Barroso e Adriana Lúcia de Melo – todos com estabilidade pela atuação na Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e com mais de 20 anos de Cemig – também foram demitidos sem motivo.

 

Cemig, gestão irresponsável

Para o Sindieletro-MG, só uma gestão extremamente irresponsável pode colocar na rua quatro técnicos – todos profissionais sérios e respeitados – apenas para espalhar o medo, aumentando a tensão nos locais de trabalho e o risco de acidentes que já é alto. “Cobramos respeito aos trabalhadores que construíram essa empresa durante 60 anos. A Cemig não merece o retrocesso que esse gesto extremista representa por colocar em perigo o Estado de Direito e a democracia. As demissões sinalizam a volta de métodos próprios da ditadura militar. O medo e o terror não funcionaram em 21 anos e não vão funcionar agora.”

 

Ato pela democracia no Paraguai

As centrais sindicais e os movimentos sociais realizaram, dia 25, ato pela democracia no Paraguai, em frente o consulado paraguaio em São Paulo. No dia 22, o parlamento paraguaio cassou o mandato do presidente Fernando Lugo, em um processo rápido, que durou menos de 36 horas. João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário geral da Força Sindical, lembrou que o movimento sindical brasileiro repudia o golpe que aconteceu no Paraguai. “Os trabalhadores do Brasil estão unidos na luta do povo paraguaio pela retomada da democracia no país. Temos a visão de que o regime democrático deve prevalecer na América Latina”. O secretário geral do Sindicato dos Metalúrgicos SP, Jorge Carlos de Morais, Araken, ressaltou o apoio dos trabalhadores metalúrgicos pela retomada da democracia no País. “Para que uma sociedade se fortaleça o regime democrático é o melhor caminho”. Ivan Gonçalez, coordenador de Políticas da Confederação Sindical das Américas (CSA), afirmou que esse é um golpe orquestrado pela oligarquia paraguaia e que é inadmissível a continuidade desta situação. “Não podemos permitir que um presidente que tem o apoio popular seja deposto graças a um golpe”.

 

Mobilidade urbana em São Paulo

A CUT/SP realiza, dia 29, um ato pela mobilidade urbana com o objetivo de alertar para o descaso e a falta de investimentos no transporte público em todo o estado de São Paulo. A Central pretende chamar a atenção para a quantidade de transtornos que a população tem passado. Os trabalhadores e trabalhadoras perdem longas horas em ônibus, trens do metrô e da CPTM, e têm sofrido impacto direto tanto pela má qualidade do serviço, quanto pelos custos da tarifa. “A paciência dos trabalhadores e trabalhadoras já se esgotou. Está passando da hora de haver uma reação por parte da população”, afirma Adi dos Santos Lima, presidente da CUT/SP.

 

Intercâmbio Brasil–Alemanha

O grupo de 35 trabalhadoras e trabalhadores começaram, dia 25, as visitas às fábricas ThyssenKrupp, Mannesmann, Daimler (Mercedes- Benz) e Mahle, na Alemanha e também participam de conferência sobre globalização. O intercâmbio é financiado pela Fundação Hans Böcker, em parceria com a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT e Instituto Integrar. A atividade é uma continuidade do que já aconteceu em 2009, quando a Fundação Hans Böckler (Alemanha) financiou a vinda dos alemães para o Brasil, onde participaram da I Conferência Expressões da Globalização: Impactos sobre os trabalhadores, análise comparativa Brasil – Alemanha, que aconteceu em SP.

 

Em MG, metalúrgicos paralisam

Os metalúrgicos de Belo Horizonte e Contagem realizaram grande manifestação nas portarias da ArcelorMittal no dia 21 de junho, em Contagem, para protestar contra as demissões, a redução nos salários, o número assustador de acidentes de trabalho que estão acontecendo e outras arbitrariedades que vêm sendo cometidas pelas empresas do grupo em todo Brasil. A Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT-MG), vários sindicatos da Região Metropolitana e do interior de Minas Gerais e a Federação Estadual dos Metalúrgicos (FEM/CUT-MG) participaram do ato, além de representantes da rede de trabalhadores da Arcelor de outros Estados do Brasil. Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de BH/Contagem e região, Geraldo Valgas, esta foi a maior manifestação realizada na Arcelor pelos metalúrgicos da região metropolitana de Belo Horizonte nos últimos anos. “Estão de parabéns as centenas de trabalhadores que, mesmo com a presença intimidatória da policia e do RH na portaria, ficaram do lado de fora da empresa para ouvir o recado do Sindicato.”

Espaço sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 16 de maio de 2012 as 09:49, por: cdb

Greve de metroviários acontece em Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Maranhão

16/05/2012

 

da Redação

 

Tentativas de privatização

O Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), ao lado do Sindicato dos Trabalhadores Energéticos do Estado de São Paulo (Sinergia-CUT), da Federação Nacional dos Urbanitários (FNU) e da CUT-SP, lançaram as campanhas nacionais contra a privatização da água e da energia em Registro, na região do Vale do Ribeira (SP). As duas campanhas são produto da unidade da Plataforma Operária e Camponesa para a Energia, uma articulação de movimentos sociais e sindicais que propõe um novo modelo energético para o país.

 

Mais segurança

A greve dos operários da construção civil, em Fortaleza (CE), foi decretada no dia 7, após rejeição dos trabalhadores à proposta da patronal de reajuste salarial de 6,5%. A categoria reivindica 17% de reajuste, aumento na cesta básica para R$ 80,00, e segurança nas obras. Desde o dia 2 de abril, o “Tsunami de peões”, como é chamado o movimento, mostra sua disposição de luta pelo atendimento das reivindicações.

 

Trabalhar no sábado?

A decisão da Caixa Econômica Federal de abrir 500 agências em todo o país no sábado, 12 de maio, foi condenada pelo Sindicato dos Bancários de Blumenau e Região (SEEB). A Lei nº 7.430 da CLT garante: bancário não trabalha aos sábados. Baseada na legislação nacional, a diretoria prometeu não permitir que os bancários da CEF trabalhassem naquela data, e paralisaram uma agência no centro de Blumenau (SC). A posição se baseia ainda no fato de se tratar da véspera do Dia das Mães e também por abrir precedentes para os bancos privados adotarem a mesma medida.

 

Metroviários aprovam greve

Os metroviários de Belo Horizonte, reunidos em assembleia geral no dia 10, na Praça da Estação, no centro da capital mineira, aprovaram greve por tempo indeterminado a partir da zero hora do dia 14. A categoria, organizada pelo Sindicato dos Empregados em Empresas de Transportes Metroviários e Conexos de Minas Gerais (Sindimetro-MG), está revoltada e mobilizada após apresentação, no dia 6, de proposta de reajuste zero pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), durante reunião com representantes dos sindicatos dos metroviários, em Recife. Além disso, a direção da Companhia garantiu que está preparada para um mês de greve. Os metroviários pedem reajuste de 5,5%, plano de saúde integral, participação nos lucros e resultados (PLR) e adicional noturno de 50%. Além da capital mineira, a decisão de greve foi estendida para o Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Maranhão. Os metroviários de São Paulo realizam rodada decisiva de negociações.

 

Campanha salarial histórica

O lançamento da campanha salarial dos metalúrgicos do Rio Grande do Sul de 2012 foi marcado por uma intensa agenda que incluiu a marcha de 800 trabalhadores pelas ruas de Porto Alegre. Os metalúrgicos fizeram uma audiência com o governador em exercício, Beto Grill, para apresentação da pauta de reivindicações. Os metalúrgicos estavam organizados na luta pela saúde do trabalhador, que hoje está cansado do descaso que gera mutilações e adoecimentos, danos na maioria das vezes irreversíveis. Outra luta é pelo fim do Fator Previdenciário, e sua votação em regime de urgência da Câmara dos Deputados.

 

Greve na Inglaterra

Centenas de milhares de funcionários públicos britânicos aderiram no dia 10 a uma greve nacional, em protesto contra as medidas de austeridade e reformas no sistema previdenciário do Reino Unido. A grande dúvida dos sindicatos que organizaram o movimento dizia respeito à participação dos policiais na greve. E a resposta foi positiva. Cerca de 20 mil policiais participaram do protesto, com cartazes contrários aos planos do governo de coalizão sobre a Previdência, ao lado de professores, agentes penitenciários, empregados dos ministérios, entre outros. Os sindicatos estimam que 400 mil empregados se unam à iniciativa por todo o país e participem de diversas manifestações. O impacto da greve nos serviços públicos foi grande. A reforma do governo inclui o aumento das contribuições e da idade de aposentadoria de 65 a 67 anos em 2028, o que obrigará os empregados a trabalhar por mais anos, contribuir mais e receber menos quando estiverem aposentados.

Espaço Sindical

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de junho de 2011 as 11:21, por: cdb

Os operários que controlam a Flaskô, após 8 anos comandando a empresa, agora fazem pressão e campanhas para que a fábrica recuperada seja decretada pública

30/06/2011

 

da Redação

 

Metalúrgicos em greve no RS

Insatisfeito com a contraproposta de reajuste de 8,5%, o Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre (RS) convocou assembleia e a categoria decretou, por unanimidade, greve nas fábricas. A reivindicação dos trabalhadores é de 14% de aumento. Para o sindicato, há um contexto de crescimento que justifica o aumento salarial.

 

MTD ocupa fábrica

No dia 20 de junho, cerca de 200 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD) da cidade de Sapiranga (RS), ocuparam a antiga fábrica Aplicawi, que estava abandonada. A ocupação é um protesto contra a demora do poder público municipal na conclusão do assentamento de famílias no município. Participaram da ação trabalhadores desempregados e de fábricas de sapatos da região.

 

Controle dos trabalhadores

Os operários que controlam a Flaskô (Sumaré-SP), após oito anos comandando a empresa, agora fazem pressão e campanhas para que a fábrica recuperada seja decretada pública, estatizada pelo governo, sob controle democrático dos trabalhadores e da população. Nesse contexto, no dia 5 de julho será feita a 8ª Caravana a Brasília para a realização de audiência pública.

 

Greve nas federais

A greve dos trabalhadores técnicos e administrativos das universidades federais atinge 47 universidades. Os profi ssionais querem que a remuneração passe para três salários mínimos e que a cada dois anos haja um reajuste de 5%. A categoria recebe 1,8 salário mínimo. A negociação é feita diretamente com o Ministério da Educação. No Brasil, a greve deve atingir 170 mil profissionais. No Paraná por exemplo, 6,5 mil profissionais aderiram à mobilização, em locais de trabalho como a UFPR e a UTFPR (tecnológica).

 

Contra a terceirização

A Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra) também tem empreendido luta contra a terceirização dos hospitais universitários, através da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) criada por medida provisória em 31 de dezembro de 2010, e que expirou em junho. O projeto poderá ser reapresentado a partir de julho, contrariando o movimento dos trabalhadores que se posicionaram contrários à medida.

 

Embrapa parada

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agropecuário (SINPAF-CUT) convocou greve geral por tempo indeterminado na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) a partir do dia 28. A expectativa é de ampla adesão depois de realizadas assembleias nas 37 seções sindicais em todo o país. Os caminhos de negociação com a empresa estatal, até o momento, não surtiram efeito. As principais reivindicações dos trabalhadores, além das melhorias econômicas, pedem o fim das demissões e punições arbitrárias.

 

Aviso prévio proporcional

Ao analisar o pedido de quatro trabalhadores demitidos pela mineradora Vale, o Supremo Tribunal Federal (STF) deve fixar regras para que o aviso prévio seja proporcional ao tempo de trabalho na empresa, quando da demissão sem justa causa. Os ministros do STF devem elaborar uma fórmula a ser aplicada sobre o piso atual de 30 dias, item já incluído na Constituição, mas não regulamentado até hoje. A discussão no Supremo despertou reações negativas nas entidades da classe patronal, que de pronto falaram dos custos que a medida arcaria.

 

Rotatividade no trabalho

Por sua vez, as entidades sindicais são favoráveis ao debate, argumentando que o aviso prévio poderia inibir a dramática rotatividade e falta de estabilidade, características do mercado de trabalho no Brasil. A rotatividade hoje no país é de cerca de 30% nos locais de trabalho (segundo o Dieese). Em 2011, já houve 8,123 milhões de demissões e 9,295 milhões de contratações no País até o mês de maio. O saldo ficou positivo em 1,717 milhão de empregos.

 

Sem aumento há 20 anos

Os funcionários do Serviço Funerário Municipal de São Paulo não recebem aumento salarial há mais de 20 anos. Depois de negado o pedido de reajuste em quase 40%, eles decidiram entrar em greve no dia 21 de junho, interrompendo o transporte e sepultamento de corpos. Hoje, pouco menos de 1,4 mil servidores são responsáveis pelo setor administrativo, cemitérios e transporte dos corpos de hospitais e prédios do Instituto Médico Legal para os velórios. O Serviço Funerário Municipal não realiza concurso público há pelo menos cinco anos.