Escritora americana Susan Sontag admira o presidente Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de outubro de 2003 as 04:54, por: cdb

Antipatriota, traidora e repugnante foram alguns dos adjetivos pouco elogiosos que a escritora americana Susan Sontag se acostumou a ouvir neste ano de 2003, em que completou 70 anos.

A pensadora se transformou em um alvo nos Estados Unidos por suas críticas à invasão do Iraque, aos meios de comunicação americanos, às explicações do FBI (a polícia federal do país) sobre os atentados de 11 de setembro de 2001 e à política de Israel em relação aos palestinos.

No meio de tanta polêmica, Sontag, que é judia, conquistou prêmios importantes por sua produção literária: na semana passada, recebeu o Príncipe de Astúrias de Letras, na Espanha e, semanas antes, o prestigioso prêmio da Paz da Associação de Editores da Alemanha.

Em entrevista à BBC Brasil em Madri, durante o lançamento do seu novo livro ‘Regarding the pain of others’ (Sobre a dor dos outros, em tradução livre), Susan Sontag contou que conheceu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e se declarou uma ‘grande admiradora’ dele.