Escritor cubano revela que Che Guevara foi traído por comunistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 30 de maio de 2003 as 14:32, por: cdb

O escritor cubano William Galvez, general de brigada reformado, revelou em Bilbao nesta sexta-feira, que o líder revolucionário Ernesto “Che” Guevara “foi traído e abandonado pela direção do Partido Comunista” boliviano.

Galvez, nascido em Holguín em 1933 e companheiro de armas do “Che” na campanha guerrilheira que destituiu o ditador Fulgencio Batista em 1959, apresentou nesta sexta-feira na Feira do Livro de Bilbao seu último trabalho biográfico sobre a figura do mítico revolucionário argentino, intitulado “O Guerrilheiro heróico”.

Nesta obra, terceira que escreve sobre a figura e vida de Guevara, analisa tudo o que se refere à campanha guerrilheira que empreendeu na Bolívia aportando depoimentos inéditos de agentes da Inteligência do Governo cubano sobre sua última ação revolucionária.

O ex-militar e escritor ressaltou nesta sexta-feira, na entrevista coletiva de apresentação do segundo dos cinco livros que constará a biografia do Che, que Guevara “fez tudo corretamente na Bolívia; o que aconteceu foi que a direção do Partido Comunista da Bolívia traiu os planos previstos e abandono os guerrilheiros a sua sorte na selva”.

William Galvez acrescentou que “todo mundo sabe que nenhuma guerrilha pode ter sucesso sem o apoio da organização clandestina do interior” e ressaltou que foi esse abandono o que propiciou que fosse capturado e executado em 9 de outubro de 1967 pelo Exército boliviano e os agentes da CIA que colaboravam em sua perseguição.

Acrescentou que o conteúdo de todos os livros que escreveram os militares bolivianos sobre a captura e morte de Che é “mentira” e acrescentou que “embora este livro não seja a verdade absoluta, relata os fatos tal como aconteceram”.

Galvez escreveu outros dois volumes sobre a figura do guerrilheiro argentino, um intitulado “Che desportista” (1995) e o segundo, ainda inédito, sobre “O sonho africano do Che: o que aconteceu na guerrilha congolesa?”, no qual analisa o trabalho de Guevara nesse país centro-africano.

Ernesto “Che” Guevara, que havia nascido em 1928 na cidade argentina de Rosario, morreu em outubro de 1967 na serra da Bolívia após ser preso numa emboscada do Exército boliviano.