Escândalo dos recalls: montadora convoca mais 1 milhão de carros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de setembro de 2011 as 09:23, por: cdb

Continua a festa: a montadora japonesa Honda acaba de anunciar um recall de quase um milhão de carros em todo o mundo em consequência de um problema no interruptor do vidro elétrico do lado do motorista. Leiam, também, a nota abaixo, Reparos viraram norma, regra e não exceção.

Estão convocados para reparos 216.193 veículos no Japão; 255.766 na China; 297.000 em outros países da Ásia; 103.000 na América do Norte; e dezenas de milhares no restante do planeta, num total de total de 936.000 carros. A assessoria de imprensa da montadora no Brasil informou que ainda não sabe se há unidades envolvidas no recall no país.

Mas, aqui, no dia 5 de agosto pp. a Honda já havia convocado os proprietários de 390 Accord versão LX ano/modelo 2005 a comparecer às concessionárias da empresa para reprogramar a unidade de controle eletrônico do veículo.

Convocam 1 milhão…1,5 milhão de veículos…virou rotina

A montadora explicou, então, que com o defeito a alavanca seletora de marchas poderia quebrar provocando a movimentação do veículo mesmo estacionado, e até acarretar a parada do motor, levando ao risco de colisão.

Uma semana antes, a Honda havia convocado proprietários de 102 mil Civic para recall no Brasil. Sem contar que anunciara outro recall, de 1,5 milhão de veículos nos EUA e 750 mil na China para atualizar o sistema de transmissão automática dos seus modelos Odyssey e Accord.

Ontem, quando convocou o recall de quase um milhão de novos veículos no mundo, a Honda se “esqueceu” de frisar que em janeiro do ano passado, havia anunciado mais um recall, daquela vez de 646 mil veículos dos modelos Fit/Jazz e City no mundo, por causa de um interruptor acionador de vidro elétrico defeituoso. A convocação aconteceu depois que uma criança morreu quando o carro em que estava pegou fogo.

Pior: a Honda não é a única a convocar recalls. Quase todas as outras montadoras também têm convocado e praticamente não passa uma semana sem que os consumidores de uma ou outra sejam aporrinhados para voltar à concessionária e proceder a reparos em seu veículo.

Foto: Antonio Cruz/ABr