ES vai reestruturar ações de combate ao crime organizado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 24 de março de 2003 as 14:55, por: cdb

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PSB), disse nesta segunda-feira que o assassinato do juiz da Vara de Execuções Penais, Alexandre Martins de Castro Filho, na manhã desta segunda-feira, é uma forma de intimidar os três poderes, principalmente o Judiciário.

De acordo com o governador, Alexandre Martins realizou um trabalho corajoso contra o crime organizado, mesmo sofrendo ameaças. “Ele deu meios para que a missão de combate ao crime no Estado fizesse um trabalho de profunda investigação e punição aos responsáveis pelo crime organizado”, ressaltou.

O governador vai se reunir, na tarde desta segunda-feira, com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o diretor da Polícia Federal, Paulo Lacerda e o secretário nacional dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda. O objetivo da reunião é discutir maneiras de reestruturar a ação contra o crime organizado no Estado.

O juiz Alexandre Martins de Castro Filho, de 32 anos, foi assassinado quando chegava na academia Belle Forme, na rua Natal, em Itapoã, Vila Velha. Segundo informações do Centro de Operações da Polícia Militar, os tiros teriam sido disparados por dois homens em uma moto. Ele foi ferido na cabeça e no tórax e chegou a ser levado para o hospital Santa Mônica, em Vila Velha, mas já chegou à unidade sem vida.