Equador: país sairá do subdesenvolvimento em 2021

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012 as 08:34, por: cdb

A Secretaria Nacional de Planejamento e Desenvolvimento do Equador (Senplandes) apresentou nesta terça-feira (28), em Quito, um estudo que prevê a saída do país do subdesenvolvimento em 2021.
Isso demandará uma despesa de 39.699 bilhões de dólares só em investimentos e outros 4.701 bilhões de dólares em despesas recorrentes, para manter posteriormente os salários e infra-estruturas.

O objetivo da análise é levantar os custos do fechamento da brecha entre a oferta atual e a ideal na prestação dos serviços, priorizar o investimento público, conseguir eficiência na política pública e estabelecer estruturas do Estado nos territórios para aplicar um novo modelo de gerenciamento.

Fánder Falconí, titular da Senplades, disse em coletiva de imprensa, que para chegar a estas conclusões se simularam vários palcos a partir de índices possíveis de crescimento, que permitirão atingir a cobertura total nos 66 serviços previstos neste estudo.

A entidade estatal estabeleceu os montantes para substituir em menos de uma década as carências nos serviços de água e esgotos, moradia, acesso a internet e telefonia (fixa e móvel), geração, transmissão e distribuição elétrica, mobilidade e transporte, lixos sólidos e riscos.

Também se inclui uma listagem de serviços desconcentrados nos territórios (dada a proximidade aos cidadãos) como são os policiais, de bombeiros, a reabilitação social, educação, saúde, inclusão econômica e social, registro civil e correios do Equador.

No caso da água potável e esgoto deverão investir-se 5.131 bilhões de dólares e serão necessários outros 208 milhões para sua manutenção, e na moradia se demandam 3.979 bilhões de dólares para suprir o déficit e outros 94 milhões em despesas recorrentes.

No Equador, 72% dos 14 milhões de habitantes tem acesso à água potável e 53% ao serviço de esgotos.

Segundo Falconí, a cifra de 56% de pobres existentes no país por necessidades não cobertas poderia ser reduzida a 20% se fosse resolvida a cobertura total nos serviços de água potável e esgoto.

Especialistas da Senplades indicaram que com este programa de desenvolvimento serão vencidas as metas para 2021, considerando o crescimento populacional e o desenvolvimento econômico nacional.

Fonte: Prensa Latina

 

..