Engenheiros da linha 4 prestam depoimento em SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de janeiro de 2007 as 19:38, por: cdb

A 3ª Delegacia Seccional da Polícia Civil de São Paulo e o Ministério Público ouviram, nesta sexta-feira, os depoimentos de cinco pessoas que trabalhavam na obra da futura estação Pinheiros do metrô no momento do acidente que matou sete pessoas, no último dia 12.

Dois engenheiros e três operários prestaram depoimento na seccional. Segundo a polícia, a investigação está na fase técnica e pretende esclarecer detalhes da obra e do contrato firmado para para a construção da linha 4-amarela do Metrô.

Os engenheiros, da empresa Odebrecht, líder do consórcio, levaram cópias do contrato. Apenas um deles já havia trabalhado no canteiro de Pinheiros antes do acidente.

De acordo com o promotor, todas as estações têm um responsável. O chefe da obra da estação Pinheiros ainda não foi convocado a depor.

Hoje, 14 dias após o acidente, peritos do IC (Instituto de Criminalística) e do Ministério Público desceram ao fundo da cratera para a coleta do material para a elaboração de um laudo.

Antes, a equipe havia feito fotos do local do acidente. No entanto, foi constatado ainda a instabilidade do solo, o que dificulta a retirada de amostras. Para tanto, foi solicitada a estabilização dividida do local, ou seja, o processo é realizado de acordo com o trabalho dos peritos.

Na quinta-feira o Corpo de Bombeiros encontrou o corpo do office-boy Cícero da Silva, 60, sétima vítima do desabamento. Ele estava a cerca de cinco metros abaixo do local onde o microônibus que foi engolido pela cratera estava. Outros quatro passageiros também foram soterrados no veículo.