Enfim, a prova mais esperada do atletismo brasileiro: São Silvestre

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 30 de dezembro de 2002 as 23:40, por: cdb

Foram 364 dias de espera até o grande dia: nesta terça-feira, 15 mil atletas do país e do exterior disputam, nas ruas de São Paulo, a prova mais festejada do atletismo brasileiro: a Corrida de São Silvestre.

A largada feminina para a 78ª edição da prova será às 15:15 (hora local). Os homens entrarão em cena às 17:00.

Em busca de um prêmio de R$ 99,6 mil – quase R$ 20 mil a mais do que em 2001 – os atletas percorrerão 15 quilômetros, com o ponto de partida em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp), na avenida Paulista.

Após a largada, os participantes seguirão rumo à rua da Consolação. Descendo em direção ao centro, passarão pela Praça Roosevelt, avenida Ipiranga, avenida São João, elevado Costa e Silva, rua Marta, alameda Olga, rua Margarida, avenida Pacaembu, rua Luzitânia, avenida Rudge, avenida Rio Branco, largo do Paissandu, rua Conselheiro Crispiniano, viaduto do Chá, largo São Francisco, avenida Brigadeiro Luiz Antônio e avenida Paulista.

A chegada de ambas as provas será em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, na avenida Paulista, 900.

O Brasil aposta suas chances de vitória em diversos nomes. No masculino, Marílson dos Santos, o melhor brasileiro em 1999 e em 2001, quando terminou ambas em quarto lugar; Ronaldo da Costa, vencedor em 1994; Valdenor dos Santos, recordista sul-americano dos 15 km; e Elenilson Silva, ouro nos 10.000 metros e prata nos cinco mil nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 1999.

Vanderlei Cordeiro de Lima, ouro na maratona dos Pan-americanos de Winnipeg e melhor brasileiro em 2000, parece um dos mais confiantes.

“Minha meta foi cumprida ao ganhar em São Paulo e na Pampulha, além de chegar entre os 10 na Maratona de Milão”, disse. “Como a São Silvestre não era a meta, tive somente três semanas para treinar. Mas me sinto bem e quero fazer um bom papel”.

No feminino, as atenções estarão voltadas especialmente para Maria Zeferina Baldaia, campeã da São Silvestre no ano passado.

Também estão bem cotadas para a vitória Adriana de Souza, melhor brasileira em 2000 (quarto lugar), e Cleuza Maria Irineu, melhor atleta nacional em 1998 e em 1999, com o quinto e sexto lugares, respectivamente.

O grande desfalque será Márcia Narloch, bicampeã da Maratona de São Paulo (1999 e 2000) e campeã da Volta da Pampulha, este ano.

Entre os estrangeiros, os quenianos Paul Kirui, Robert Cheruiyot e Felix Limo apostam em mais uma vitória de seu país nas ruas de São Paulo:

“Somos favoritos e viemos para vencer”, disse Robert.

A alegação de Robert não é sem sentido. Afinal, os quenianos Paul Tergat, com 43:12 minutos, em 1995, e Hellen Kimayio, com 50:26, em 1993, detêm o recorde da prova desde que o percurso foi fixado em 15 quilômetros, há 11 anos.