Encontro na Áustria debate segurança de materiais radioativos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 11:31, por: cdb

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) está reunida nesta terça-feira em Viena, na Áustria, para discutir a ameaça de que material radioativo caia nas mãos de terroristas, além de buscar o aumento da segurança e da informação do público sobre a questão.

Seiscentos especialistas estão presentes no encontro de três dias, que também é patrocinado por Rússia e Estados Unidos, na primeira conferência global desse tipo.

Os delegados estão debatendo as implicações de segurança representadas por material radioativo mantido ilegalmente – particularmente a ameaça das chamadas bombas sujas, que são bombas convencionais que carregam material radioativo.

Analistas dizem que a preocupação não é com mortes em massa causadas, mas com o caos que resultaria da radiação que se espalharia em qualquer cidade atacada dessa forma.

Segurança adicional

Desde os atentados de 11 de setembro, aumentou a preocupação com a possibilidade de esse tipo de material ser usado por terroristas.

“Em vista de relatos recentes sobre planos terroristas para construir e distribuir aparelhos de dispersão radioativa, está claro que são necessárias medidas de segurança adicionais”, disse o chefe da AIEA, Mohamed El-Baradei, na abertura do encontro.

Materiais radioativos são usados largamente em todo o mundo, em hospitais, institutos de pesquisa e indústrias como a de produção de petróleo.

Equipamento de radioterapia usado para tratar câncer, por exemplo, é uma fonte comum desse material.

Tradicionalmente, medidas de segurança têm sido limitadas à prevenção de acidentes e à restrição de acesso com a preocupação voltada para ladrões comuns.

A AIEA também alertou para o perigo representado por fontes radioativas não regulamentadas, particularmente nas repúblicas que pertenceram à ex-União Soviética, e para o amplo mercado negro no qual esse material é negociado.

“Duas missões foram realizadas na Moldávia e no Tadjiquistão no ano passado e mais estão planejadas para este ano”, afirmou El-Baradei.

A reunião em Viena termina na quinta-feira.