Empresários querem aproximação urgente entre Mercosul e UE

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 1 de fevereiro de 2005 as 11:16, por: cdb

Empresários da União Européia e do Mercosul lançaram nesta segunda-feira em Luxemburgo um apelo para a retomada das negociações que visam a criação de uma área de livre comércio entre os dois blocos econômicos.

Cerca de 200 empresários se reuniram na sede do grupo siderúrgico Arcelor durante a 5ª Conferência Anual do Fórum Empresarial Mercosul-União Européia. O grupo, criado em 1999, tem o objetivo de reforçar as relações econômicas entre os dois blocos. E vem propondo alternativas para o desbloqueio das negociações e funcionando também como um instrumento de pressão para que as discussões diplomáticas avancem. Para os empresários, a demora nas discussões representa perda de oportunidades comerciais.

-A obtenção rápida de um acordo entre a União Européia e o Mercosul é importante para dar novo dinamismo a trocas comerciais e investimentos entre as duas regiões – afirmou o brasileiro Ingo Plöger, co-presidente do Fórum Empresarial como representante do Mercosul e presidente da Companhia Melhoramentos, de São Paulo.

Segundo um estudo realizado pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris, a ausência de uma liberalização comercial completa entre os dois blocos custaria US$ 5 bilhões por ano. Os empresários divulgaram durante o encontro a “Declaração de Luxemburgo”, na qual eles pedem aos governos envolvidos para “procurar corajosamente soluções para os desafios nas negociações”.

Ainda segundo o documento, “é importante que os negociadores de ambos os blocos evitem insistir nas estratégias que já levaram a erros no passado”. Os representantes do Fórum Empresarial esperam que o acordo possa ser concluído até o final de 2005.

– Já percorremos 90% dessa maratona. Mas os 10% que faltam são os mais difíceis. Se houver vontade política, teremos a chance de fechá-lo em 2005. É uma possibilidade estratégica para concluir o maior acordo bi-regional do mundo – afirmou Ingo Plöger à BBC Brasil.

O vice-presidente da Comissão Européia e comissário europeu para a Indústria, Günter Verheugen, afirmou durante o encontro em Luxemburgo que está “convencido de que um acordo mais abrangente deve ser concluído”. Isso contribuiria, disse o comissário europeu, “para melhorar a competitividade e reforçar a integração econômica das duas regiões”.