Empresário acusado de fornecer cocaína no Rio é preso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 20 de novembro de 2002 as 23:47, por: cdb

Acusado de ser fornecedor de cocaína para três favelas da zona norte do Rio, o empresário do ramo de roupas Giovano Duarte de Lima, 35, foi preso ontem à tarde por policiais da Drae (Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos). Segundo a polícia, foi encontrado meio quilo de cocaína em seu carro, um Fiat Brava.

No momento da prisão, Lima dirigia pela avenida d. Helder Câmara, em Benfica (zona norte). Segundo a polícia, ele fornece cerca de 20 kg de cocaína por mês para as favelas do Jacarezinho (Jacaré) e os morros do Fubá (Campinho) e do 18 (Cascadura).

O empresário se recusou a prestar depoimento na Drae. Ele está preso na carceragem da Polinter (praça Mauá, centro).

Lima, de acordo com a Drae, não fazia distinção entre facções criminosas e vendia a droga para grupos rivais. Ele cobrava cerca de US$ 2,8 mil por quilo da droga, informou a unidade da Polícia Civil.

O empresário é investigado pela Drae desde setembro, quando policiais prenderam Oséas Ferreira da Silva, 32, durante um assalto a banco.

As investigações concluíram que eles fazem parte da mesma quadrilha, acusada de trazer drogas em aviões que pousavam em pistas clandestinos no interior do Estado do Rio. Depois, a cocaína seguia em carros para as favelas, de acordo com a Drae.

Segundo a polícia, a droga era adquirida possivelmente do Mato Grosso do Sul. Silva seria o intermediador da venda da cocaína fornecida por Lima.

O empresário é dono das lojas Electric Light, no Penha Shopping (Penha, zona norte), e Kipper, no Shopping Iguatemi (Vila Isabel, zona norte). A Drae informou que ele se preparava para abrir uma loja em Marechal Hermes (zona oeste).

A polícia anunciou que vai investigar se as lojas de Lima eram usadas para lavagem do dinheiro supostamente arrecadado com o tráfico de cocaína.

De acordo com a polícia, Lima já responde a inquérito por associação para o tráfico de drogas. Desta vez ele deverá ser indiciado por tráfico de drogas.