Emprego na indústria paulista teve o pior maio desde 1998, segundo Fiesp

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 10 de junho de 2003 as 14:48, por: cdb

Pelo segundo mês consecutivo a indústria de transformação do Estado de São Paulo mais demitiu do que contratou. O resultado foi uma queda de 0,18% no nível de emprego industrial em maio, o que corresponde à eliminação de 2.743 postos de trabalho, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

Este é o pior mês de maio desde 1998, quando o nível de emprego caiu 0,39%.

Em abril, o nível de emprego no setor já havia apontado queda de 0,20%, com o fechamento de 3.054 vagas, após três meses consecutivos com dados positivos.

Dos 47 sindicatos que compõem a pesquisa da Fiesp, 22 mais demitiram do que contrataram em maio, 18 mais contrataram e 7 apontaram estabilidade no número de vagas.

De janeiro a maio deste ano, no entanto, a indústria acumula recuperação de 0,21% no emprego, em comparação ao mesmo período do ano passado, o que significa a abertura de 3.141 postos de trabalho.

Em 12 meses, até maio, o índice continua negativo (-3,29%), devido ao fechamento de 51.117 vagas no período.