Emocionado, presidente segue longa programação de despedida

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de dezembro de 2010 as 12:54, por: cdb
Lula chora
Lula chora ao se despedir da Presidência da República

Chegaram ao fim as viagens oficiais do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele escolheu Salvador como última parada antes de retornar ao Palácio do Planalto e sair de lá, no sábado, como um cidadão comum. Lula atendeu ao convite do governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e participou da entrega de residências populares na capital baiana e fez um balanço do programa Minha Casa Minha Vida, carro-chefe da campanha vitoriosa de Dilma Rousseff nas últimas eleições.

A viagem a Salvador encerra o roteiro de viagens de despedida mas, pela manhã, Lula aproveita o voo para uma breve passagem por Fortaleza, capital cearense, onde foi recebido com uma festa. Desde o dia 10 de dezembro até agora, Lula visitou 16 cidades de 11 Estados brasileiros.

Nesta tarde, o presidente Lula inaugurou obras, sorteou unidades habitacionais e assinou novos contratos com transmissão ao vivo por videoconferência para eventos simultâneos em Canoas, no Rio Grande do Sul, Campinas, em São Paulo, e Manaus, no Amazonas. Segundo o ministro das Cidades, Márcio Fortes, até o início da primeira quinzena de dezembro, o programa habitacional direcionado à população de baixa renda registrava 852.881 contratos fechados desde o início do programa, em 2008.

Homenagem

Ainda nesta quarta-feira, a Petrobras declarou a comercialidade da área de Tupi e os sócios Galp e BG concordaram em renomear o novo campo petrolífero. Passará a se chamar Lula e tem reservas estimadas em 6,5 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis. A área vizinha de Iracema também foi certificada. Batizada de Cernambi, tem 1,8 bilhão de barris de óleo e gás. Os campos de Lula e Cernambi fazem parte do bloco BM-S-11, e juntos, somam reservas de 8,3 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás).

Quando um consórcio declara comercialidade, ele anuncia que a produção naquele campo é viável em escala comercial. Depois da declaração de comercialidade, as reservas do campo são integradas ao portfólio da companhia.

O BM-S-11 começou a ser perfurado em outubro de 2006. A área de Tupi foi a primeira grande descoberta do pré-sal. Anunciada no final de 2007, foi a partir dela que o governo identificou o grande potencial da nova fronteira exploratória brasileira. Desde então, os leilões na camada pré-sal foram suspensos e um novo marco regulatório para o setor foi desenvolvido, e sancionado na semana passada pelo presidente Lula.

A Petrobras tem 65% do consórcio, sendo a operadora do bloco. A britânica BG tem 25%, com os 10% restante a cargo da portuguesa Galp.