Embaixador lembra transformação da região nos últimos 20 anos 

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de março de 2011 as 16:36, por: cdb

Ao celebrar os 20 anos do Mercosul, o embaixador Antônio José Ferreira Simões, representante do chanceler Antônio Patriota no evento, afirmou que o Mercosul transformou profundamente a região nas últimas duas décadas. Ele citou como exemplo o crescimento do comércio entre os países-membros, que saltou de US$ 4,5 bilhões para US$ 45 bilhões.

O embaixador disse que, embora esse dado já demonstre o êxito do projeto, “o Mercosul é muito mais do que isso”, tendo ensinado aos países-membros a pensar e agir em conjunto sobre um grande número de desafios que desconhecem fronteiras nacionais. Segundo ele, de migrações a meio ambiente, de trabalho a previdência social, de cooperação jurídica a agricultura familiar, de educação a saúde, praticamente todas as áreas que exigem políticas públicas têm uma “dimensão Mercosul”.

– Estamos criando o sentimento de pertencer a uma verdadeira comunidade, criando o cidadão do Mercosul;por isso, o Mercosul tem um profundo sentido histórico – disse o embaixador.

Antônio Simões lembrou que o Mercosul nasceu “de iniciativa visionária de aproximação Brasil e Argentina”, materializada pelo então presidente José Sarney. Juntamente com o então presidente da Argentina, Raul Alfonsín, Sarney, afirmou o embaixador, “deu um passo definitivo para superar as rivalidades históricas entre os dois países.

Essa iniciativa, recordou o embaixador, captou o sentido das transformações profundas por que passavam os dois países. Reencontrando a democracia, passavam a reconhecer uma identidade comum e enfrentavam o desafio da inserção de suas economias num mundo marcado pela formação de blocos econômicos.

– A Ata de Iguaçu expressou com eloquência esse momento, ao referir-se à urgente necessidade de a América do Sul aumentar seu poder de negociação e ampliar sua autonomia decisória por meio de políticas de cooperação e integração entre as nações. Hoje somos mais fortes e a nossa voz é mais ouvida no mundo – afirmou.

Antônio Simões citou todos os fatos relevantes no processo de constituição do Mercosul, com destaque para o Parlamento do Mercosul. Lembrou que esse processo atravessou os governos José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Em sua avaliação, isso demonstra que o Mercosul é uma política do Estado brasileiro.

– O Itamaraty e esta Casa têm mantido uma valiosa parceria na execução dessa política; parceria que, estou seguro, manter-se-á sob a condução da Presidenta Dilma Rousseff – disse.

Da Redação / Agência Senado