Egípcio recebe US$ 27 milhões por denunciar estrategista da Al Qaeda

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 17:21, por: cdb

Um radical egípcio receberá uma recompensa de US$ 27 milhões por ter fornecido aos Estados Unidos informações que levaram à prisão, no começo deste mês, de Khalid Shaikh Mohammed, apontado como o estrategista dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Fontes do governo norte-americano confirmaram à CNN, nesta quarta-feira, versões veiculadas primeiramente por um jornal britânico e pela revista Newsweek.

O egípcio, cuja identidade é mantida em sigilo, seria soldado da rede terrorista Al Qaeda e foi preso em fevereiro durante operações policiais na cidade paquistanesa de Quetta.

Segundo autoridades norte-americanas, o prisioneiro não apenas cobrou os US$ 25 milhões da recompensa oferecida pelos Estados Unidos, como também exigiu US$ 2 milhões a mais para pagar as despesas com a mudança de sua família para a Grã-Bretanha.

As fontes da CNN afirmaram que o egípcio está recebendo todo o dinheiro.

Khalid Shaikh Mohammed, que teve seu nome vinculado a inúmeros atentados atribuídos à Al Qaeda nos últimos cinco anos, foi preso no dia 1º deste mês por paquistaneses em uma casa na periferia de Islamabad.

Agentes do FBI, a polícia federal norte-americana, continuam a verificar pistas obtidas em conseqüência da prisão de Mohammed.

Segundo fontes do governo norte-americano, o FBI vem realizando, desde a captura de Mohammed, investigadores em diversas cidades dos Estados Unidos, como Washington, Nova York e Los Angeles.

O objetivo dos investigadores é descobrir, graças às dicas encontradas no computador e em outros arquivos de Mohammed, provas da existência de células dormentes da Al Qaeda nos Estados Unidos.

O FBI já teria descoberto que membros da Al Qaeda transferiram dinheiro para os Estados Unidos após o 11 de Setembro.