Efeito Estufa derruba as bolsas em todo o mundo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de fevereiro de 2007 as 13:32, por: cdb

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o pregão desta terça-feira em compasso com a queda histórica de 9% da bolsa chinesa. O país é um dos maiores poluidores do planeta e tende a refazer uma série de protocolos, com o objetivo de combater o Efeito Estufa, o que poderá causar a retração da maior economia do mundo. A preocupação de que a retração do pregão chinês antecipe uma correção de rumos de uma das maiores economias do planeta inquietou o mercado acionário mundial. O principal índice da Bolsa, o Ibovespa, recuava 4,09% às 12h26, a 44.319 pontos e giro de R$ 400 milhões, volume considerado alto para o horário.

Analista da corretora Geração Futuro, Mauro Giorgi disse a jornalitas que vê uma combinação de três fatores na queda nos índices desta terça-feira:

– Há uma grande preocupação com o cenário chinês, tem ainda a realização de lucros na bolsa brasileira e o velho “efeito manada” em curso.

O baque nos índices das bolsas de valores chinesas afetou o mercado brasileiro principalmente pela questão das commodities. Um dos principais compradores mundiais, a perspectiva de uma desaceleração da economia e de uma redução no volume de vendas para a China afeta um mercado puxado principalmente por empresas exportadoras.