Edifício destruído por fogo será demolido em Madrid

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 13 de fevereiro de 2005 as 11:04, por: cdb

Ainda ardia em chamas na manhã deste domingo o que restou do edifício Windsor, um dos mais altos do coração financeiro de Madri, destruído por um incêndio que começara no sábado. O oitavo maior arranha-céu de Madri, com 31 andares e 106 metros de altura, e um dos mais tradicionais da cidade, foi reduzido a um esqueleto.

Assim que as chamas foram controladas, o maior risco era que o prédio desabasse, mas esta hipótese já foi afastada pelas autoridades. Condenado, no entanto, o arranha-céu deverá ser demolido.

O incêndio, o maior da história da capital da Espanha, começou às 23h20m (hora local, às 20h20m de Brasília) deixando em alarme toda a região. Um curto-circuito no 21º andar teria sido a causa do fogo no prédio, que estava em obras há meses. Ainda não se sabe como o fogo se propagou sem que o sistema de combate a incêndios do prédio fosse acionado logo. A hipótese de um atentado foi logo descartada por autoridades.

Apesar da magnitude do incêndio, não há feridos em estado grave. Apenas três dos 150 bombeiros que participaram do combate às chamas sofreram intoxicação pela fumaça. Os prédios vizinhos, como a sede principal do Banco Banco Bilbao Vizcaya (BBVA), foram rapidamente esvaziados. Àquela hora da noite de sábado, poucos funcionários do serviço de limpeza trabalhavam nos escritórios.