Economia informal emprega 67% dos trabalhadores mexicanos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de setembro de 2011 as 11:44, por: cdb
Atualizado em 08/09/11 13:16

CIDADE DO MÉXICO, 6 SET (ANSA) – Números divulgados pelo governo mexicano revelam que 67% da população mexicana economicamente ativa, que soma 46 milhões de pessoas, está inserida na economia informal, enquanto apenas 37% integra o mercado formal.

O governo também afirmou que o país atingiu em agosto, com a geração de 66.683 novos empregos, seu recorde histórico de inscritos no Instituto Mexicano do Seguro Social, com 15.104.131 trabalhadores.

O ministro da Fazenda, Ernesto Cordero, explicou que, somados esses números, desde o começo do ano foram criados um total de 492.502 postos de trabalho.

Cordero considerou que estas cifras de representam “um sinal animador” sobre o desenvolvimento da economia mexicana, que nestes momentos de incerteza e volatilidade econômica no mundo “resiste com fortaleza em suas finanças públicas, graças a seu bom comportamento”.

O ministro ainda destacou que “neste cenário de desaceleração econômica, o México continua crescendo”.

Por sua vez, o ministro do Trabalho, Javier Lozano, assinalou que os empregos gerados em agosto significam um aumento de 0,4% no total de postos preenchidos no país, enquanto o crescimento registrado nos último representa 3,4%.

Os maiores empregadores foram empresas com 50 a 250 trabalhadores, que contribuíram com 32% das novas vagas, seguidas pelas que empregam de 1 a 50 trabalhadores, que em abriu 23,5% dos postos de agosto. (ANSA)