Economia dos EUA cria menos vagas em dezembro mas tem ano forte

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 7 de janeiro de 2005 as 14:47, por: cdb

A economia dos Estados Unidos criou 157 mil postos de trabalho em dezembro, mês em que os varejistas surpreendentemente demitiram durante a época de final do ano, informou o Departamento de Trabalho nesta sexta-feira.

Mas o departamento revisou para cima os dados dos dois meses anteriores e disse que a criação de vagas em 2004 todo foi a melhor desde 1999, evidências suficientes para levar os mercados financeiros a acreditar que os juros do país continuarão em alta neste ano.

O número de dezembro ficou abaixo da expectativa média de economistas ouvidos pela Reuters, de 175 mil. O dado de novembro foi revisto para abertura de 137 mil vagas, ante a leitura preliminar de 112 mil, e o de outubro foi revisado de criação de 303 mil para 312 mil.

– As revisões apagaram a surpresa levemente negativa – disse Greg Anderson, estrategista de câmbio do ABN Amro.

Essa visão ficou aparente nos mercados de bônus, onde os preços inicialmente subiram mas depois reverteram, já que os operadores concluíram que no geral o dado não deve impedir o aperto monetário.

O Fed reúne-se em 1 e 2 de fevereiro e deve elevar os juros em 0,25 ponto percentual. Na visão de muitos analistas, devem ocorrer mais altas nas reuniões do primeiro semestre.

No câmbio, o dólar operava fraco em relação ao euro e ao iene.

O departamento acrescentou que a taxa de desemprego manteve-se em 5,4 por cento em dezembro sobre novembro.

Dezembro marcou o 16o mês seguido de abertura de vagas. Em 2004 como um todo, houve criação de 2,2 milhões empregos, contra perda de 61 mil vagas em 2003. Foi o melhor desempenho desde 1999 quando foram criados 3,2 milhões de postos.

– Comparado com o ano anterior, parece bom. (O emprego) está mais e mais forte e eu acho que esse vai ser o cenário nesse ano – disse Kurt Karl, economista do Swiss Re.
Lisa Finstrom, analista do Citibank, disse que os dados do emprego são consistentes com a expectativa do mercado de juros maiores.

– As pessoas estão vendo a criação de 150 mil empregos por mês como um bom ritmo de abertura para a economia – afirmou.

– Estamos nos mantendo próximos desse ritmo, então o Fed continua o aperto.

Em dezembro, a criação de empregos esteve bem distribuída, com exceção do varejo, onde 19.600 pessoas foram demitidas.