Economia deve ficar abaixo da meta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 15:59, por: cdb

A economia brasileira vai crescer apenas 1,8% neste ano, segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), órgão do governo ligado ao Ministério do Planejamento.

A previsão é 1 ponto percentual inferior à meta do governo federal, de 2,8%. É também muito parecida com o modesto resultado alcançado pela economia brasileira em 2002, de crescimento de 1,52%.

Assim como ocorreu em 2002, as exportações devem ser o destaque da economia brasileira. De acordo com o Boletim Conjuntural do Ipea divulgado hoje, o consumo interno teria um apenas um ligeiro cresciemnto devido ao impacto da inflação sobre os salários.

“A produção deve se manter em um patamar elevado devido às exportações. Já o consumo vai ficar estável, mas não vai mais ser negativo como no ano passado”, disse o economista do Ipea Paulo Levy, coordenador da pesquisa.

O instituto também destacou a política macroeconômica restritiva de juros em patamares elevados para combater a inflação, a qual pode influenciar negativamente a atividade econômica no primeiro semestre. Hoje, a taxa básica de juros da economia brasileira está em 26,5% ao ano.

De acordo com as projeções do Ipea, a agropecuária manterá seu dinamismo com um crescimento de 3,3%. Quanto à indústria, os segmentos exportadores devem continuar a crescer: a indústria de transformação, 1,8% e a extrativa-mineral, 7,9%.

O Ipea espera uma recuperação do setor de construção civil com crescimento de 1,5% neste ano e também dos serviços industriais de utilidade pública, em sua maioria formados pelo setor de energia elétrica, com aumento de 4,6%.