Dona Zica é enterrada no Cemitério do Caju

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 23 de janeiro de 2003 as 00:32, por: cdb

Dona Zica foi enterrada às 17h no Cemitério do Caju, na zona norte do Rio. Ela morreu hoje aos 89 anos.

Cerca de 200 pessoas acompanharam a cerimônia. A ex-governadora do Rio e atual ministra Benedita da Silva estava presente.

As pessoas cantaram “As Rosas Não Falam”, de Cartola. Várias escolas de samba levaram bandeiras para homenagear Dona Zica. Houve uma missa e queima de fogos.

Um das principais integrantes da Velha Guarda da escola de samba Mangueira, Eusébia Silva de Oliveira, a Dona Zica, morreu após uma parada cardiorrespiratória, em casa, no morro da Mangueira, zona norte do Rio.

Segundo informações de familiares, um médico tentou reanimá-la, mas não conseguiu.

Nos últimos dois anos, Dona Zica vinha sendo internada frequentemente com problemas de saúde. Só em 2002, ela foi internada cinco vezes.

No Carnaval do ano passado, Dona Zica ficou internada durante uma semana na Clínica São Vítor, na Tijuca (zona norte do Rio de Janeiro), mas queria desfilar para comemorar o título de campeã da Mangueira. Ela foi internada no sábado de Carnaval com um edema pulmonar e não participou do desfile oficial da escola. Depois que conseguiu alta do hospital, Dona Zica foi para a avenida, mas ficou no barracão da escola por causa da chuva.

Dona Zica, que foi casada com o compositor Cartola, ajudou a fundar a Mangueira.

Seu corpo foi velado na quadra da escola de samba. No morro da Mangueira, onde ela morava desde criança, houve grande comoção.