Domingueira de Curitiba transporta 20,1 milhões de passageiros em 2011

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 11:32, por: cdb

A tarifa domingueira de R$ 1,00 continuará em vigor no sistema de transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana. A tarifa, implantada em 23 de janeiro de 2005, completou sete anos e se transformou num instrumento de integração e inclusão social, responsável pelo transporte de 20,1 milhões de pessoas durante o ano de 2011.

A redução tarifária levou mais pessoas a visitar parques, praças e outros pontos turísticos de Curitiba e região, aproveitando as facilidades da rede integrada de transporte, que permite ao usuário deslocar-se de um ponto a outro usando várias linhas, mas pagando apenas uma tarifa.

Em 2004, ano anterior à implantação da tarifa domingueira, apenas 3,5 milhões de passageiros se deslocaram em ônibus pela cidade aos domingos. Em um ano, o movimento de usuários domingueiros cresceu 387%, chegando a 17,4 milhões, graças à tarifa reduzida. Dados da Urbs mostram que a média de passageiros, que era de 298.289 em 2004, passou para 396.209 no ano seguinte.

Crescimento – “A tarifa diferenciada, praticada aos domingos, mostra que o usuário respondeu positivamente à proposta da Prefeitura, utiliza a rede integrada para lazer ou visita a amigos e parentes em um dia de semana de pouco movimento. Usa a frota de ônibus disponível sem o risco de excesso de passageiros, comum nos dias úteis”, diz Antonio Carlos Araújo, diretor de Transporte da Urbs, empresa responsável pelo gerenciamento do sistema de transporte urbano.

A partir da cobrança da tarifa de R$ 1, o movimento nos coletivos, aos domingos, cresceu bastante e mantém uma alta taxa de ocupação. Enquanto 17,4 milhões de pessoas se deslocaram pela cidade, em 2005, pagando a tarifa reduzida, em 2006 esse número subiu para 20,2 milhões de passageiros – uma alta de 16% em relação ao ano anterior.

Em 2007, esse movimento cresceu 5% em média, com 21,4 mil embarques domingueiros. De 2008 a 2011, a média anual de passageiros aos domingos se manteve em torno de 20,1 milhões de pessoas.

Economia – A procura cada vez maior por deslocamentos baratos aos domingos vai além da tarifa reduzida. Por exemplo, quatro pessoas de uma família que usam ônibus, em dias úteis, quando a passagem custará R$ 2,60, pagam R$ 10,40, enquanto aos domingos, esse custo cai para apenas R$ 4,00 – uma considerável economia para quem utiliza regularmente o transporte coletivo.

Por conta dessa diferença, os pontos de atração turística ganham cada vez mais visitantes aos domingos, enquanto as famílias também se aproximam mais, quando residentes em pontos diferentes da cidade, graças às constantes visitas facilitadas pela tarifa que objetiva maior inclusão social.

Ainda como exemplo, quem mora no centro e gosta de fazer caminhadas no Jardim Botânico, aos domingos embarca em uma das duas linhas expressas: Campo Comprido/Centenário ou Pinhais/Rui Barbosa, na praça Rui Barbosa, com desembarque na estação-tubo Jardim Botânico, na avenida Presidente  Affonso Camargo.
 
O acesso ao Jardim Francisca Maria Garfunkel Rischbieter e ao Velódromo Municipal também instalado na área, é pela rua Engenheiro Ostoja Roguski, a cerca de 200 metros da estação-tubo.

Já quem mora em Santa Felicidade e pretende visitar a tradicional feira de artesanato aos domingos no Largo da Ordem, embarca no terminal que fica na via Veneto, e desembarca no ponto central na Travessa Nestor de Castro, atrás da Catedral, a poucos metros da feira.

Pelo mesmo preço, mesmo terminal, o usuário pode tomar as linhas Júlio Graf ou São Bernardo, com paradas, no centro, ao lado da Catedral, de onde chega à feira pela rua São Francisco.