Domingo de bombardeio em Bagdá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 30 de março de 2003 as 12:50, por: cdb

Bagdá continuou a ser alvo neste domingo de intensos bombardeios aéreos por parte da coalizão liderada pelos Estados Unidos. A capital do Iraque amanhaceu sob intensos ataques, que foram repetidos ao longo da tarde.

Várias explosões no centro e nos arredores foram ouvidas. De acordo com correspondentes na capital do Iraque, os ataques – que tiveram início na noite de sábado – estariam visando prédios do governo iraquiano e posições da Guarda Republicana, a tropa de elite de Saddam Hussein.

Um dos alvos teria sido um palácio presidencial onde Qusay Hussein – o filho mais novo do presidente iraquiano – teria um complexo.

Enquanto isso, o Comando Central dos Estados Unidos, no Catar, afirmou que as tropas que avançam em direção a Bagdá por terra estão a cerca de 90 quilômetros da capital.

Resistência

O general Tommy Franks, o comandante das tropas da coalizão liderada pelos Estados Unidos, negou que tenha pedido mais tropas ao Pentágono devido a uma surpreendente resistência iraquiana.

“O envio de mais tropas estava previsto desde antes da guerra”, afirmou Franks.

O general negou ainda que o plano de invadir Bagdá tenha sido adiado por alguns dias. “Tudo está correndo dentro do previsto”.

Batalhas ainda acontecem em Basra, Najaf e Nasiriyah.

Kirkuk, no norte do Iraque, também teria sido bombardeada, de acordo com a agência de notícias Reuters.

Segundo fontes militares britânicas, um coronel da Guarda Republicana foi morto em Basra e cinco militares iraquianos foram capturados na operação.

As tropas britânicas garantiram neste domingo que estão tendo conquistas importantes em Basra.

O principal alvo do ataque é a vila de Abu al-Qassib, um reduto do Exército iraquiano no sudeste de Basra e de onde foram lançados vários contra-ataques desde o início do cerco à cidade.

O Iraque ainda não se manifestou sobre o ataque.