Divisão de vereadores de São Paulo entre pré-candidatos do PT reforça prévias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de setembro de 2011 as 16:10, por: cdb

Divisão de vereadores de São Paulo entre pré-candidatos do PT reforça prévias

Ministro da Educação, Fernando Haddad, é o preferido de Lula, mas esbarra na falta de contato com a militância. Lideranças na Câmara Municipal estão divididas

Por: Raoni Scandiuzzi, Rede Brasil Atual

Publicado em 05/09/2011, 18:50

Última atualização às 18:50

Tweet

São Paulo – A divisão entre os vereadores petistas de São Paulo pode reforçar a disputa interna para a escolha do nome que irá representar o partido na próxima eleição municipal, em 2012. Uma parcela mostra-se fechada com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva na ideia de investir no ministro da Educação, Fernando Haddad. Outros seguem a mais bem colocada em pesquisas de intenção de votos, a senadora e ex-prefeita Marta Suplicy (PT-SP). Há ainda parlamentares que articulam a candidatura do deputado federal Jilmar Tatto (PT-SP), outro nome forte entre a militância paulistana.

A disputa entre os vereadores do partido indicam que um consenso está distante de ser encontrado neste momento. Dos 11 vereadores que compõe a bancada do PT, três estão empenhados em emplacar a candidatura de Haddad; outros três declaram apoio a Tatto, e o restante ainda não definiu posição publicamente.

Pela proximidade política histórica entre Marta e os parlamentares da família Tatto, um acordo entre as partes é visto como uma definição relativamente próxima. Aliados em diversas ocasiões nas disputas partidárias, Tatto só teria viabilidade se a ex-prefeita desistisse de ser pré-candidata. Pelo teor de suas declarações nesta segunda-feira (5), diante dos resultados de levantamento do Datafolha, ela parece ser cada vez mais certa de que quer disputar.

Por outro lado, a força de ter Lula como aliado pode turbinar a preferência pelo ministro da Educação. Durante um seminário da bancada do PT, na segunda-feira (5), o vereador Alfredinho, um dos que defendem a escolha de Haddad, afirmou que a grande quantidade de postulantes à disputa tende mesmo a resultar em uma prévia.

“Diante do processo que o Diretório Municipal deflagrou, durante as caravanas e na vontade de vários candidatos em disputar a prefeitura de São Paulo, nós vamos seguir a rotina normal, se tivermos de ter uma prévia, vamos ter. O candidato escolhido pela militância vai ser o candidato do partido”, explicou o vereador.

Na pesquisa Datafolha divulgada na segunda, Marta aparece como a favorita para as eleições municipais que ocorrerão em 2012. Com 29% da intenções de voto, a ex-prefeita aparece mais de 10 pontos percentuais à frente do segundo colocado, José Serra (PSDB). O ex-governador e candidato derrotado à presidência da República em 2002 e 2010, que também é ex-prefeito paulistano, obteve 18% das intenções de voto. O preferido de Lula para a disputa, atual ministro da Educação, Fernando Haddad, ficou com 2% de preferência quando é incluído no cenário.

Alfredinho chegou a dizer que, dentro do partido, já se trabalha até com datas para a prévia. “O que vai pesar, independentemente da vontade do Lula ou de qualquer outro dirigente, vai ser a vontade da militância, que será deflagrada nas prévias. É isso que vai ser respeitado nas prévias do dia 27 de novembro e, se houver segundo turno, dia 11 de dezembro”, disse o vereador.

Outro participante do encontro petista, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloízio Mercadante, não escondeu que trabalha por um consenso em torno de um candidato único. “Eu já fui candidato com prévia e foi difícil a unidade do partido, já fiz campanha sendo candidato único do partido e foi muito importante para fortalecer nossa trajetória e a luta. O importante é a unidade do partido”, explicou o ministro. Mercadante deixou claro que seu nome está fora da disputa.

Leia também:
Marta Suplicy diz estar ‘sensibilizada’ com pesquisa para prefeitura em 2012Fora da disputa, Mercadante pede unidade e não descarta Kassab como aliado do PTPT veta coligações locais com PSDB, PPS e DEM, mas não proíbe PSD de KassabApesar de dúvidas sobre assinaturas, PSD está próximo de conseguir registroApesar de aproximação de Kassab, PCdoB de São Paulo não descarta PT em 2012Com presença de Kassab, PCdoB reafirma candidatura de Netinho em São PauloEx-vice de Serra “ensina” a ser político por R$ 10 a aulaONGs querem candidatos comprometidos com sustentabilidade em 2012Lançada pré-candidata à prefeitura, Marta quer nome capaz de bater Serra em SPTemer confirma Chalita como pré-candidato à prefeitura de São Paulo mesmo antes da filiação