Dirceu decide fazer as pazes entre Planalto e FHC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de outubro de 2003 as 20:08, por: cdb

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, vai telefonar ainda nesta quinta-feira para o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a fim de desfazer os mal-entendidos dos últimos dias e restabelecer as boas relações entre ele e o governo Lula. Segundo a Assessoria de Imprensa da Casa Civil, o telefonema está sendo intermediado pelo embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Rubens Barbosa, uma vez que o ex-presidente encontra-se naquele país desenvolvendo pesquisas.

O desentendimento entre Dirceu e Fernando Henrique começou na última sexta-feira, dia 24. Ao desembarcar na Espanha para receber o prêmio Príncipe de Astúrias, o presidente Lula foi surpreendido com críticas ao seu governo feitas pelo ex-presidente ao jornal espanhol El País. Fernando Henrique disse, na entrevista, que estava surpreso pela “falta de imaginação” do governo Lula, e afirmou que a principal bandeira do atual presidente (o combate à fome) não tinha conseguido sair do papel.

Dirceu reagiu de forma dura. Na Espanha, ele disse que o ex-presidente tinha que “cuidar da biblioteca, da memória da sua Presidência e dos netos”. O ministro pediu paciência a Fernando Henrique e enfatizou que o ex-presidente não conseguiu, em oito anos de governo, realizar as principais ações já conduzidas por Lula em apenas nove meses.

Diante das críticas, Fernando Henrique rebateu. O ex-presidente chegou a divulgar nota oficial para dizer que Dirceu era “arrogante”. No último episódio da crise, na segunda-feira, Dirceu disse, durante discurso no Congresso da Internacional Socialista, em São Paulo, que o ex-presidente tinha quebrado o Brasil três vezes, nos momentos em que firmou acordos com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O telefonema de Dirceu tem como objetivo desfazer a crise. A Casa Civil não divulgou, porém, o tom que o ministro pretende utilizar no telefonema, ou mesmo o que Dirceu planeja conversar com Fernando Henrique.