Dilma defende política de coalizão na posse de Crivella na Pesca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 2 de março de 2012 as 12:50, por: cdb

Dilma defende política de coalizão na posse de Crivella na Pesca

Por: Redação da Rede Brasil Atual

Publicado em 02/03/2012, 15:10

Última atualização às 15:40

Tweet

Dilma considera que a política de alianças reflete o país “complexo, múltiplo e democrático” (Foto: Roberto Stuckert Filho. Presidência)

São Paulo – A presidenta Dilma Rousseff centrou na política de coalizão do governo seu discurso feito hoje (2) durante a posse do senador Marco Crivella (PRB-RJ) no Ministério da Agricultura e Pesca. Para ela, a história de afirmação da democracia a partir das eleições diretas tem sido marcada pelo exercício do poder por meio de alianças e coalizões politicas. “Somos um país complexo, múltiplo e democrático. A constituição de alianças é essencial para que o Brasil seja governado de forma democrática e que o governo represente os interesses da nação”, disse.
 
“Não é contraditório se apoiar na coalizão de partidos. Foi graças a isso que chegamos ao governo. A entrada do senador Marcelo Crivella no governo significa o reconhecimento do papel do PRB nessa grande aliança”, destacou Dilma. Ela ressalvou que, na verdade, é a volta do partido ao Executivo, pois este já foi representado pelo ex-vice-presidente José Alencar.
 
Insistente no tema, Dilma justificou os objetivos da coalizão: defesa da democracia e aperfeiçoamento das instituições; respeito aos direitos humanos, sociais e econômicos do povo; a determinação de construir um país mais justo e livre da miseria; contínuo compromisso com a sustentabilidade do crescimento econômico; a distribuicao de renda; geração de emprego; ampliação dos salários e ascensão social; oferecer saúde publica de qualidade e educação de alto nível; e a defesa da soberania nacional, do desenvolvimento nacional autônomo e do multialeratismo nas relações internacionais.
 
Ao falar sobre a saída do deputado Luiz Sérgio do ministério, ela se emocionou. “Ao longo do caminho somos obrigados a prescindir de grandes companheiros. Mas é um grande parceiro, que compreende a imposição da política em nome dos interesses do país. Você, Luiz, prestou relevantes serviços durante o governo Lula, na campanha e no ministério.”
 
A presidenta voltou a se emocionar quando falou de José Alencar. “O Zé honrou o PRB, do qual foi um dos fundadores. Dignificou o governo. Tive a honra de conviver com ele, que deixou exemplo de abnegação e de amor. Que o PRB seja bem-vindo de volta ao governo”, disse.

Compromisso

Crivella assumiu o compromisso de aumentar a produção do setor no país e organizar a pesca empresarial. Ele ressaltou que sua gestão buscará cumprir o conjunto de metas estabelecidas pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência de, até 2022, aumentar a produção anual da aquicultura sustentável em cinco vezes, dobrar o consumo nacional per capita de pescado e gerar mais 1 milhão de empregos na atividade pesqueira.

“Para atingir esses objetivos, vamos precisar de muita pesquisa, vamos precisar da Embrapa [Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária] Pesca e, para isso, vamos precisar de engenheiros. Temos apenas 1,4 mil engenheiros de pesca no Brasil, talvez aí resida uma das nossas maiores vulnerabilidades e uma questão importante que temos de enfrentar”, destacou.

O novo ministro disse que, ao receber o convite para assumir o cargo, ouviu da presidenta Dilma Rousseff o pedido para que trabalhe pelos pescadores artesanais, setor que ainda concentra grande quantidade de pessoa na informalidade.

Crivella é o terceiro ministro que assume a pasta da Pesca em um ano e dois meses de governo Dilma. Eleito para o segundo mandato de senador pelo estado do Rio de Janeiro, é formado em engenharia civil. Já foi candidato ao governo fluminense e à prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Integra a bancada evangélica do Congresso Nacional e é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus. Por dez anos, trabalhou na difusão do trabalho da igreja no Continente Africano.

Ao repassar o cargo a Crivella, o deputado federal Luiz Sérgio (PT-RJ) disse que continuará trabalhando para defender as políticas do governo da presidenta Dilma. Ele reassume o mandato na Câmara dos Deputados. “Que todos sigam desempenhando com garra as tarefas do nosso governo, digo nosso porque na Câmara continuo sendo do governo da presidenta Dilma Rousseff. Retorno ao Parlamento com o firme propósito de defender as políticas do governo”, ressaltou.

Luiz Sérgio disse se sentir honrado por ter integrado o governo da primeira mulher presidenta da República e lembrou também o trabalho realizado na Secretaria de Relações Institucionais, primeiro cargo ocupado por ele no governo de Dilma Rousseff.

No início do mandato da presidenta, Luiz Sérgio assumiu a Secretaria de Relações Institucionais com a função de fazer a articulação entre o governo e o Congresso Nacional. Na pasta, recebeu críticas de parlamentares que relatavam que o ministro não tinha autonomia para atender às demandas dos políticos.

Luiz Sérgio disse a Crivella (PRB-RJ) ter ampla convicção da importância do Ministério da Pesca para o desenvolvimento da atividade no país. “Estou certo de que em pouco tempo o Brasil estará pronto para aproveitar esse potencial e o trabalho do ministério será reconhecido pela sociedade”, disse.

Com Agência Brasil