Detento canadense usa prisão como forma de não pagar pensão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 14 de novembro de 2006 as 19:23, por: cdb

Um canadense que cumpre pena por planejar o assassinato de sua ex-esposa para não pagar pensão agora está usando o fato de estar preso como uma nova desculpa para evitar o pagamento à ex-mulher. Ronald Schulz declarou-se culpado da conspiração que levaria ao assassinato de sua mulher, Sheryl Janssen, no início deste ano, admitindo que havia contratado um assassino de aluguel para quebrar o pescoço de sua esposa. O “pistoleiro” era, na verdade, um agente da polícia disfarçado e Schulz acabou na cadeia.

A mulher não morreu, mas o canadense não quer mesmo gastar um centavo com ela. No tribunal, o homem afirmou categoricamente que não pode pagar a pensão à ex-mulher porque está encarcerado, um argumento que o advogado de Janssen chamou de o “máximo da audácia”.
O aprisionado Schulz não tem mais emprego fixo, mas recebeu cerca de US$98 mil da venda de sua casa, de acordo com os documentos do tribunal. Um juiz da Suprema Corte de Ontário deverá emitir sua decisão sobre o caso nesta semana, mas disse que pretende requisitar o pagamento de uma soma substancial a Janssen, que está cuidando de dois filhos sozinha e ainda não recebeu nenhum dinheiro do ex-marido.

O advogado de Janssen disse que a mulher também não consegue trabalhar, devido ao trauma causado por Schulz. De acordo com os autos, Janssen deixou Schulz em 2005, depois de sofrer abusos físicos e verbais.

Após a separação, em vez de pagar a pensão determinada pela Justiça, Schulz planejou com um amigo assassinar sua ex-mulher quebrando seu pescoço e jogando-a escada abaixo para que a morte parecesse um acidente.

Janssen ficou sabendo do plano sinistro através da esposa do amigo, que seria o cúmplice de Schulz, e foi à polícia. Os guardas armaram um golpe para prender o suspeito utilizando um policial disfarçado de assassino de aluguel. Schulz foi preso em dezembro e declarou-se culpado.