Desemprego em São Paulo é o maior dos últimos 18 anos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de maio de 2003 as 16:34, por: cdb

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo atingiu, em abril, a maior alta dos últimos 18 anos, passando de 19,7% em março último para 20,6% da População Economicamente Ativa (PEA). Os dados são do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese) em conjunto com a Fundação Seade.

Com essa elevação, o número de desempregados atingiu 1,941 milhão, o equivalente a 110 mil pessoas a mais do que no mês anterior. A explicação é o ingresso de 129 mil concorrentes disputando o mercado, onde foram criadas apenas 19 mil ocupações.

A pesquisa mostra ainda que as maiores chances de se conseguir um emprego estavam mais concentradas em atividades de serviços de concessão de crédito e domésticos. A indústria criou só 3 mil vagas, o mesmo número da área de serviços, enquanto o comércio suprimiu 49 mil postos de trabalho.

Embora tenha alcançado o recorde desde 1985, a taxa ficou ligeiramente acima da variação de igual período do ano passado. Em abril de 2002, o índice ficou em 20,4% da PEA.

Na análise de Sérgio Mendonça, diretor do Dieese, essa alta de abril reflete ”uma sucessão de anos ruins na economia, sobretudo a partir do segundo semestre de 2001, com baixo dinamismo na geração de postos de trabalho ao mesmo tempo em que há mais gente disputando vagas”.

Em sua avaliação, no segundo semestre a economia deverá reagir mais favoravelmente. O diretor do Dieese observou que, no ano passado, houve uma enorme turbulência na economia, com forte desvalorização do real e os conseqüentes impactos sobre a taxa inflacionária.

– Se de fato houver a esperada queda inflacionária e o recuo da taxa básica de juros, a Selic, que foi mantida em 26,5% ao ano, a tendência é de uma melhoria das condições na economia e, consequentemente, na oferta de emprego – afirmou Mendonça.