Deputado mensaleiro do PT credita absolvição a ter provado inocência

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 8 de maio de 2006 as 16:18, por: cdb

Autismo ou gozação?

Trecho do jornal Folha de J.Paulo, distribuído pelo deputado João Paulo Cunha (PT-SP), um dos mensaleiros absolvidos no festival de pizza em que transformou a Câmara dos Deputados: “A expressiva votação e apoios recebidos por João Paulo num plenário com alto quórum de 483 deputados está associada ao fato de ter provado sua inocência diante das acusações caluniosas, e também de ser uma liderança política respeitada por uma carreira de quase 30 anos em defesa da democracia, da ética, da transparência e participação popular param construir um Brasil mais justo”. Será que João Paulo acredita nisso? Acho que duas outras hipóteses são mais prováveis: ele se tornou autista ou está brincando com a inteligência das pessoas.

 

OAB age bem ao não pedir impeachment

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) agiu bem ao desistir, nesta segunda-feira, de pedir o impeachment do presidente Lula. A entidade, no entanto, aprovou o envio de uma notícia-crime ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, pedindo o aprofundamento das investigações sobre as denúncias de corrupção. Foi uma atitude sensata. Além de o impeachment só ter sentido diante de um clamor popular, que não existe, não faz sentido abrir um processo nesse sentido a cinco meses das eleições.

 

Bradesco segue no paraíso

O Bradesco anunciou nesta segunda-feira que teve um crescimento de 27% em seus lucros no primeiro trimestre deste ano, comparados com o mesmo período do ano passado. O lucro do banco nestes três meses foi de R$ 1,53 bilhão. Pouquíssimas atividades legais apresentam, em todo o mundo, a lucratividade dos bancos brasileiros no governo Lula. Não é à toa que em três anos do atual governo eles lucraram mais do que em oito anos de governo Fernando Henrique Cardoso. E o período FHC era classificado pelo PT, com razão, como o paraíso dos bancos.