Denatran estuda integração da cobrança de multas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de dezembro de 2001 as 21:36, por: cdb

O novo diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Jorge Guilherme Francisconi, afirmou hoje, em São Paulo, que o departamento pretende integrar os Departamentos Estaduais de Trânsito (Detrans) de forma a cobrar multas de veículos emplacados em qualquer Estado. Segundo ele, a medida está sendo discutida com o ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira. O ministro deve anunciar a mudança na semana que vem. “Não haverá mais multa impune”, disse Francisconi, que assumiu o cargo há 20 dias. Com isso, o número de multas deve subir 162%, de 80 mil para 210 mil por mês.

Em reunião realizada hoje com empresários do setor ferroviário e rodoviário em São Paulo, Francisconi afirmou que o Denatran ainda estuda a regulamentação do veículo de transporte de carga chamado de bitrem, caminhão com duas composições que chega a ter 74 toneladas de peso bruto total (PBT). Segundo ele, o Ministério dos Transportes está fazendo um levantamento de rodovias e pontes que não têm capacidade de suportar tamanho peso, já que foram construídas entre os anos 60 e 70, quando os caminhões em uso eram menores. O bitrem chega a ter 30 toneladas a mais do que um caminhão normal extra-pesado (de 45 PBT). De acordo com Francisconi, o governo não pode deixar que esses veículos destruam estradas e pontes do País.

Empresários e fabricantes estão pressionando o governo a regulamentar logo esse tipo de veículo. Segundo o diretor comercial da fabricante de implementos rodoviários Randon, Rogério Ragazzon, já existem cerca de 20 mil bitrens circulando no País. Segundo ele, a maior parte tem peso bruto total de 57 toneladas, transportando 26% a mais de carga do que um semi-reboque convencional. “Só o veículo de mais de 70 PBT é que precisa ser regulamentado”. De acordo com o executivo, as maiores fabricantes desse tipo de equipamento são Randon, Gotti e Noma.