Demora argentina em anúncio de plano econômico faz mercado reagir mal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de outubro de 2001 as 19:37, por: cdb

Novamente o governo argentino não anunciou, conforme prometia, o oitavo pacote econômico do governo De la Rúa. Ao contrário, foi divulgada uma nova estratégia, que foi vista com muita desconfiança pelo mercado. Agora, o próprio presidente negociará o corte nos repasses com os governadores de províncias e a equipe econômica negociará as suas dívidas e a dívida externa do país, tudo ao mesmo tempo.

Os credores externos já vêem a medida como prenúncio de calote. Até a decisão, o governo esperava poder anunciar o sucesso das negociações com as províncias para depois abordar a reestruturação com os bancos. Já não se sabe se haverá algum êxito, e os próprios investidores argentinos estão muito pessimistas. Segundo analistas, cortes orçamentários apenas serão insuficientes para alcançar a redução de US$ 6 a US$ 6,5 bilhões prevista pelo próprio governo em 2002. Mas, pelo menos por enquanto, não há sinais positivos de reestruturação voluntária da dívida e ajustes nas províncias.

O risco país da Argentina bateu novo recorde, chegando a incríveis 2.009 pontos. O dólar não subiu tanto, em parte por causa da expectativa de entrada de dólares com o leilão de privatização da Companhia Paranaense de Energia (Copel), na quarta-feira. O preço mínimo é de cerca de R$ 5 bilhões, e a empresa tem chances de ser arrematada por um grupo estrangeiro. Mas a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) despencou, assim como a Bolsa de Buenos Aires (veja o fechamento abaixo).

Fechamento dos mercados

O dólar comercial para venda fechou em R$ 2,7240, com queda de 0,11%. Os contratos de juros de DI a termo – que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano – fecharam o dia pagando juros de 23,780% ao ano, frente a 23,800% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 3,42%.

O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou em queda de 6,55%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones – Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York – fechou em queda de 2,67%, e a Nasdaq – bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York – fechou em queda de 3,41%.

Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.