Delegado ouve diretor técnico da Embraer sobre o vôo 1907

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 20 de outubro de 2006 as 10:55, por: cdb

O delegado da Polícia Federal que investiga o acidente com o Boeing 737-800 da Gol, Renato Sayão, ouviu nesta sexta-feira o diretor técnico da Embraer, Sérgio Mourão. A empresa brasileira é fabricante do jato Legacy que se chocou com o avião da Gol no dia 29 de setembro.
Mourão veio acompanhado por um representante da Embraer em Brasília e três advogados da empresa. Nenhum deles deu declarações ao chegar para o depoimento, que foi tomado na Coordenação de Aviação Operacional, que fica no hangar da Polícia Federal no Aeroporto de Brasília.

Segundo a assessoria de imprensa da PF, o delegado quis saber detalhes sobre o funcionamento do avião Legacy envolvido no acidente, além de informações como revisão e teste de equipamentos, inclusive o transponder (dispositivo de comunicação eletrônico complementar, semelhante a um radar diferenciado). Ele também pediu informações sobre a elaboração do plano de vôo do jato feito pela Embraer.

O delegado está em Brasília desde o dia 10 deste mês e este é o primeiro depoimento que ele ouve no inquérito. Sayão é delegado da Polícia Federal de Mato Grosso e responsável pelo inquérito sobre as causas do acidente.

O Boeing da Gol caiu no norte do Mato Grosso, depois de colidir com o jato Legacy quando fazia o vôo 1907, de Manaus ao Rio de Janeiro, com escala prevista em Brasília. O colidiu no ar com um jato Legacy, fabricado pela Embraer, que saíra de São José dos Campos (SP) com destino aos Estados Unidos. Os 154 passageiros do Boeing morreram e nenhum dos ocupantes do Legacy ficou ferido.