Delegado diz que indiciará ACM caso ele se mostre contraditório

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de março de 2003 as 14:56, por: cdb

O delegado da Policia Federal Gesival Gomes de Souza deixou na tarde desta quinta-feira a reunião do Conselho de Ética, onde detalhou para os senadores o inquérito que preside sobre denúncia de grampo telefônico ilegal na Bahia.

Em entrevista, ele afirmou que não terá duvidas em indiciar o senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) caso ele mostre contradição em seu depoimento. Como é parlamentar, é ACM quem definirá o dia, o horário, e o local que deseja prestar seus esclarecimentos.

O senador baiano, segundo o delegado, foi citado, até o momento, por quatro depoentes como o mandante dos grampos. Gomes disse não considerar um número pequeno, apesar de já terem sido ouvidas 28 pessoas. “Não posso esperar que todos apontem ele como o responsável pelas escutas ilegais”, ponderou.

Ele também respondeu às criticas sobre o porquê de não ter convocado para depor ainda os jornalistas da revista IstoÉ que dizem ter provas da participação de ACM no caso. De acordo com o delegado, ele está seguindo uma linha investigatória na qual eles serão os últimos a depor.