Declarações de Kirchner sobre câmbio são criticadas por presidente do BC

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de maio de 2003 as 19:55, por: cdb

A idéia do recém-empossado presidente argentino, Néstor Kirchner, de manter em três pesos a cotação do dólar no mercado livre de câmbio, foi qualificada de um “enorme disparate” pelo presidente do Banco Central argentino, Alfonso Prat Gay.

– O presidente nos disse que gostaria de um dólar a três (pesos), o que neste ambiente pode-se dizer que é um enorme disparate – disse Prat Gay, numa uma reunião com diretores da Associação Argentina de Amigos da Universidade Hebraica de Jerusalém nesta quarta-feira.

Ele afirmou que “não há forma” de prever as cotações no mercado livre de câmbio e recomendou ao presidente não “jogar sua credibilidade em algo que não pode prever”.

– Em minha gestão não vamos olhar a taxa de câmbio, o que vamos olhar é o produto final da política monetária – explicou Prat Gay. Ele acrescentou que durante este mês “aumentou bastante o ritmo de expansão monetária” e que o Banco Central comprou “alguns dólares a mais que do que vinha comprando” para que “a inflação permanecesse dentro de um nível”.