Das ruas para a passarela

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de novembro de 2012 as 05:53, por: cdb

Nove mulheres que viviam nas ruas do Distrito Federal terão noite especial nesta segunda-feira . Pela primeira vez na vida, elas sobem em uma passarela, montada no Taguaparque, e se tornam o centro das atenções de público estimado em 200 pessoas.
O evento consolida resultados de projeto que começou há sete meses, com a abordagem das participantes nas ruas.

Com idades entre 19 e 48 anos, as mul heres do Projeto Miss na Rua têm histórias de vida diferentes. Mas todas estavam em situação de risco social: sem casa, sem emprego e sujeitas às diversas formas de violência e consumo de drogas.

Foram identificadas pelos educadores sociais da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), em Taguatinga e Ceilândia, e convidadas a participar da primeira edição do projeto. A ação é parte da política pública do GDF de inclusão social e resgate da autoestima e da cidadania.

Desde abril deste ano, elas se encontram uma vez por semana, no Centro de Referência da Assistência Social de Ceilândia, para participar de oficinas e debates. Com o apoio de empresas e voluntários, elas tiveram cursos de automaquiagem, pintura em tecidos, aulas de passarela com a Miss Ceilândia, Vanessa Castro, e um dia de beleza em um salão no Lago Sul.

O avanço do projeto atraiu mais parceiros e doações. Entre elas, uma sessão de fotos em um estúdio do Lago Norte, que teve a produção totalmente montada com os presentes que as modelos receberam.

“Não estamos impondo um projeto de beleza. No dia em que fizeram as fotos, elas se sentiram reconhecidas”, explica o secretário de Desenvolvimento Social, Daniel Seidel. Entre as participantes do projeto, há duas gestantes com nove meses de gravidez.

A confecção dos vestidos do desfile envolveu voluntários. A partir de tecidos coloridos pelas alunas do Miss na Rua, estudantes do curso de Moda do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) desenvolveram co leção especial.

Na noite do evento, todas receberão faixa, coroa e cetro. Não haverá disputa. A proposta é refazer a imagem dos moradores de rua, promover a dignidade e a inserção em políticas públicas.

Exposição

A evolução das alunas inspirou a artista plástica e coordenadora do projeto pela Sedest, Karla Cíntia Silva Lourenço, a retratar cada uma das mulheres em telas que serão expostas no dia do desfile. O evento será organizado pela Secretaria de Cultura do DF, que fornecerá projetor, som, iluminação, passarela e uma apresentação cultural.

Quem são as participantes do Miss na Rua
Vanessa do Socorro, 19 anos
Mônica Dias Carvalho, 38
Maria Lucia, 48
Joice de Nazaré, 25
Maria Laurileide, 26
Cíntia Arnon, 27
Ladislaura Maria Castro, 29
Rosineide Alves de Sousa, 34
Regiane Reis Figueiredo, 34

Desfile – segunda-feira (26/11), no Taguaparque, às 19.

 

..