Curso prepara pessoal para tratamento a pé diabético

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de janeiro de 2006 as 10:28, por: cdb

A Secretaria de Saúde rpomove até março, em Duque de Caxias, o Curso de Atenção Integral ao Pé Diabético, voltado para a capacitação de profissionais de saúde no tratamento preventivo do pé diabético. O curso tem o apoio do Consórcio Interdisciplinar de Saúde da Baixada Fluminense. Serão formadas na Baixada 73 equipes, cada uma com um médico, um enfermeiro e um técnico de enfermagem. Para implantar o projeto, que visa reduzir o número de amputações melhorando o atendimento preventivo, a Secretaria de Saúde contratou a Especial Clínica dos Pés, especializada em atenção ao pé diabético. O coordenador do curso, o cirurgião vascular e angiologista Jackson Caiafa, afirma que hoje existem um milhão de diabéticos no estado, dos quais cerca de 700 mil se tratam na rede pública do SUS (Sistema Único de Saúde), sendo que 15% deles desenvolverão úlceras nos pés em alguma fase da vida.

O Curso de Atenção Integral ao Pé Diabético será realizado no Hospital Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, e no PAM (Posto de Atendimento Médico) 404, de Caxias. Ao final do curso estarão capacitados 219 profissionais. Caiafa explica que a diabetes é doença crônica evolutiva que, se for diagnosticada cedo, as complicações podem ser reduzidas. O pé diabético, de acordo com o médico, é a maior causa de amputação no mundo depois dos traumas e acidentes. Na idade adulta muitas pessoas são acometidas da diabetes tipo 2 e cerca de 10 a 12 anos depois do aparecimento da doença começam a surgir as complicações.

 – O curso é justamente voltado para uma ação preventiva de tratar adequadamente a doença. O curso visa também uma mudança no modelo de atendimento e a intenção é formar equipes para atuar na atenção básica (postos de saúde) e nos PSFs (Programas de Saúde da Família) – explica Caiafa.

Os profissionais treinados vão atender permanentemente os pacientes diabéticos e procurarão diagnosticar novos pacientes, para avaliação contínua. Eles também vão informar aos pacientes diabéticos os cuidados que precisam ter na hora de utilizar calçados e cortar as unhas. Estão sendo criados pelos consórcios interdisciplinares de saúde de cada região pólos secundários de pé diabético em Caxias, Nova Iguaçu e Nilópolis.