Cruzeiro fica no empate com o Corinthians de Caicó

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de março de 2003 as 22:45, por: cdb

Apesar de enfrentar um adversário desconhecido e com uma folha de pagamento em torno de R$ 50 mil, o Cruzeiro não confirmou o favoritismo e empatou em 2 x 2 com o Corintians, de Caicó, cidade do sertão do Seridó, no Rio Grande do Norte, nesta quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Com o resultado, as duas equipes voltam a se enfrentar no Mineirão, na próxima quarta-feira, na partida de volta. Para ficar com a vaga, o Cruzeiro pode empatar até por 1 x 1. Em caso de outro 2 x 2, a vaga será decidida nos pênaltis, mas a partir de 3 x 3 dá o Corintians. O vencedor enfrentará o Guarani, de Campinas, que eliminou o Vila Nova, de Goiás.

O time do técnico Wanderley Luxemburgo entrou em campo embalado pela conquista do Campeonato Mineiro e ostentando uma invencibilidade de quase cinco meses. Depois de uma viagem de 280 km até Caicó, o Cruzeiro desembarcou bem informado sobre o Galo do Seridó, como é conhecido o Corintians, com a ajuda do meia Sandro, que é da região, e do ex-lateral Nonato.

Em campo, o Cruzeiro tomou as rédeas da partida, logo que a bola rolou, e teve chances de abrir o placar no início do primeiro tempo. Mas a equipe celeste só conseguir balançar as redes aos 26min. Alex cobrou falta na cabeça do estreante zagueiro Irineu, que tocou no canto direito do goleiro Isaías.

O Corintians, que contava com o apoio de sua torcida, não se intimidou diante do campeão mineiro e tricampeão da Copa do Brasil. Foi para cima do time visitante e também criou suas oportunidades. Até que aos 38min, o atacante Júnior Bahia, que estreou no Galo do Seridó, recebeu livre no canto direito de Gomes.

Os jogadores do Cruzeiro deixaram o campo, ao encerramento da primeira etapa, assustados com a reação do time da casa. O lateral-direito Maurinho alertou: “O time deles está marcando muito”. O zagueiro Edu Dracena reclamou da bola e do gramado do estádio Marizão.

Mais atento com o adversário, a equipe celeste voltou para o segundo tempo empenhado em decidir logo a partida. Na base da pressão, o Cruzeiro chegou ao segundo gol aos 12 min. O lateral-esquerdo Leandro, que se recuperou de contusão e entrou em campo pela primeira vez este ano, cruzou na cabeça do colombiano Aristizábal, que mandou para o fundo das redes.

Após recuperar a vantagem no placar, a Raposa diminuiu o ritmo e passou a explorar os contra-ataques, preocupada com a marcação do Corintians, que não se entregou e buscou o gol de empate. Até que aos 41min conseguiu seu objetivo. Neto, que entrou no lugar de Leonardo, acertou um forte chute de fora da área e deixou tudo igual.

CORINTIANS-RN 2 X 2 CRUZEIRO

Corintians
Isaías; Izaquiel, Nunes, Kléber e Renato Peixe; William, Fischer, Leonardo (Neto) e Eron, Júnior Bahia (Marquinhos) e Marcos Alemão (Samu)
Técnico: Pedrinho Albuquerque

Cruzeiro
Gomes, Maurinho, Edu Dracena, Irineu e Leonardo; Recife, Paulo Miranda, Wendell (Sandro) e Alex (Claudinei); Aristizábal (Marcelo Ramos) e Deivid
Técnico: Wanderley Luxemburgo

Data: 26/03/2003 – quarta–feira
Local: Estádio Senador Dinarte Mariz, o Marizão, em Caicó-RN
Público: 4.540 pagantes
Renda: R$ 35.605,00
Juiz:Rogério Vieira de Oliveira (PE)
Cartão amarelo: Júnior Bahia (Corintians); Edu Dracena (Cruzeiro)
Gols: Irineu, aos 26min, Júnior Bahia, aos 38min do primeiro tempo; Aristizábal, aos 12min, Neto, aos 41min do segundo tempo