Cristovam economiza palavras em entrevista a jornal espanhol

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de setembro de 2003 as 20:44, por: cdb

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, economizou palavras nesta segunda-feira, em Curitiba, para comentar a entrevista que concedeu ao jornal espanhol El Pais, em que afirmou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estava enfrentando dificuldades com algumas alas do PT.

Isso porque o partido “não fez as contas com seu passado antes de chegar ao poder”. “Isso aí é coisa minha com o meu partido”, respondeu. “Eu aqui estou como ministro”. E pediu que fosse feita uma nova pergunta.

Ao jornal espanhol, ele também declarou que o PT nasceu para defender categorias concretas, como os funcionários públicos e os sindicatos.

– Hoje, o mundo e o Brasil mudaram, temos de elaborar o que é o Lulismo – disse. Perguntado sobre a declaração, ele afirmou que o Lulismo é a “esperança que há hoje no Brasil e no mundo inteiro de um governo que seja capaz de conviver internacionalmente, como ele (Lula) está mostrando”.

Sobre a possibilidade de deixar o ministério, Cristovam Buarque deu a resposta padrão. “A pergunta tem que ser feita ao presidente da República e não a mim.” Segundo ele, as afirmativas de que não teme deixar o cargo não significa que tenha certeza de que fica ou que não fica.

– Não temo quer dizer que sou professor universitário, sou senador, sou cidadão, sou um militante, agora, se fica ou não fica no cargo, quem decide é o presidente da República – completou o ministro.