Crise na segurança desmascara Alckmin

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de junho de 2012 as 09:19, por: cdb

Por Altamiro Borges
Na propaganda, São Paulo é um paraíso. Na vida real, é um inferno. Dominado pelo PSDB há quase duas décadas, o estado sofre com apagões nos transportes, privatização da saúde, precarização na educação e, agora, aumento da violência. Em recente anúncio na televisão, Geraldo Alckmin se jactou de ter melhorado a segurança pública. Mas a farsa marqueteira não resiste aos fatos!

Segundo o próprio Estadão, jornal sempre alinhado aos tucanos, a capital paulista tem registrado altas seguidas e alarmantes dos índices de violência e “os dados criminais confirmam a tendência de piora, tanto no acumulado do ano quanto em comparação a maio de 2011”. Nos primeiros cinco meses do ano, a taxa de homicídios cresceu 16,3% e a de roubos de veículos saltou 26%.
Governador desnorteado
Das 93 delegacias de polícia existentes na capital, 60 tiveram aumento no número de roubos. A violência atinge principalmente as camadas mais pobres da população, na periferia da cidade – mas só vira manchete dos jornalões quando afeta os ricaços com os arrastões nos restaurantes e nos edifícios de luxo. Ela também tem vitimado os policiais, com 40 mortes desde o início do ano.
Diante do aumento da violência, a mídia sensacionalista volta a alardear o retorno do temido PCC (Primeiro Comando da Capital). Comentaristas raivosos e “autoridades” sugerem ações mais duras – ou seja, mais violência. Desmascarado na sua propaganda, o governador Geraldo Alckmin parece desnorteado. Já a população, desesperada, morre e é roubada no meio tiroteio.