Crise “deve reforçar voz européia”, diz ministro grego

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de março de 2003 as 15:54, por: cdb

O ministro das Relações Exteriores da Grécia, Yorgos Papandreu, atual presidente do Conselho de Ministros da UE, disse nesta segunda-feira, em Atenas, que a crise do Iraque deve servir para reforçar a idéia de uma política exterior européia comum.

Depois de uma reunião com o primeiro-ministro grego, Costantinos Simitis, Papandreu evitou chamar os participantes da Cúpula dos Açores (Espanha, Portugal, Reino Unido e EUA) de “Inimigos da Europa”, como fez parte da imprensa grega.

“Eu não gostaria de utilizar nomes para classificar uma ou outra reunião. A Europa tem uma postura comum. Há diferenças na forma de enfrentar os fatos. É algo que não escondemos”, declarou Papandreu.

“Esta crise, qualquer que seja o final, deve servir de oportunidade para reforçar a voz européia no âmbito mundial, a voz de uma política externa comum européia, e para dar chance a um novo diálogo sobre os assuntos de segurança dos sistemas políticos internacionais com os EUA e o mundo árabe”, acrescentou.

Papandreu declarou que “lutamos até o último momento para uma solução pacífica para a crise no Iraque”.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores grego, Panos Beglitis, anunciou que o Governo grego mandou sua pessoal diplomático instalado no Iraque evacuar a embaixada nas próximas 48 horas e deixar o país.