Crise desempregou 27% dos argentinos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 26 de julho de 2002 as 13:24, por: cdb

De acordo com as estatísticas, 5,6 milhões de pessoas tem graves problemas de trabalho em uma população economicamente ativa estimada em 14,3 milhões
“O índice de desocupação reflete o pior momento da crise, mas há indicadores de que estamos começando a encontrar um caminho de
saída”, sustentou o chefe de Gabinete argentino, Alfredo Atanasof.
A populosa periferia de Buenos Aires, onde vivem 12,3 milhões,alcançou também um nível altíssimo de desocupação: 24,2% em
maio.
Em outro estudo, o INDEC apurou que 49,7% dos habitantes da capital e periferia, o maior conglomerado urbano do país, vivem na
pobreza.
Em números reais, a situação afeta seis milhões de pessoas
pertencentes a famílias com rendimentos inferiores a 600 pesos (167
dólares).