Criação da Comunidade Sul-Americana de Nações ganhará impulso neste ano

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 1 de fevereiro de 2005 as 18:25, por: cdb

O presidente da Comissão de Representantes Permanentes do Mercosul, Eduardo
Duhalde, afirmou nesta terça-feira que 2005 será o ano do impulso para a implantação da Comunidade Sul-Americana das Nações. Duhalde discutiu o tema em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.

Duhalde defendeu com otimismo a criação da Comunidade Sul-Americana, que inicialmente seria integrada por 10 países de língua espanhola e portuguesa, além das duas Guianas e do Suriname. Como exemplo de que a integração é possível, o ex-presidente argentino citou a formação do bloco europeu, que avança mesmo com grandes diferenças na economia, na religião e na língua.

– As diferenças existem. Algumas não podem ser superadas, as assimetrias grandes não serão superadas, mas as outras, sim, desde que haja consciência plena de que os países mais desenvolvidos devem ajudar os menos desenvolvidos – disse Duhalde.

Outro assunto discutido no encontro foi o lançamento de um fundo financeiro para apoiar os países que integrarem o bloco sul-americano. Como exemplo, Duhalde disse que o dinheiro do fundo poderá servir para combater a febre aftosa, comum a muitos países da região.

Duhalde comentou ainda os recentes conflitos entre a Venezuela e a Colômbia. Para ele, a forma como a questão está sendo conduzida traz ensinamento a todos os países.

– São como dois irmãos, que às vezes brigam e depois se abraçam – comentou.

Ele criticou a intromissão dos Estados Unidos no conflito, classificando-a de inconveniente.