CPI do Banestado repercute em Wall Street

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 20 de junho de 2003 as 12:35, por: cdb

A CPI do Banestado, que poderá ser instalada no Congresso na próxima semana, divide opiniões de analistas em Wall Street.

A diretora-associada para área de economia global do banco Bear Stearns, Emy Shayo, disse que a perspectiva da CPI do Banestado já é um fator de preocupação no exterior. Ela disse que o mais preocupante, em relação à CPI, não é tanto o ritmo de andamento da tramitação das reformas estruturais no Congresso.

– O preocupante é o que a CPI poderá afetar em termos do equilíbrio político que o presidente Lula conseguiu até agora para a aprovação das reformas – explicou Emy.

Para o diretor de pesquisa e de estratégia para mercados emergentes do ABN-Amro, Arturo Porzecanski, a alta na taxa de risco Brasil – que hoje está por volta de 765 pontos-base depois de ter atingido na segunda-feira passada 691 pontos-base – faz parte de um movimento de correção generalizado do mercado de dívida de países emergentes.

– Não estou preocupado ainda com a perspectiva de instalação da CPI do Banestado. Esse tema não tem afetado ainda os investidores -afirmou Porzecanski