Corpo de Marcos Madeira será cremado no final da tarde no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 20 de outubro de 2003 as 14:20, por: cdb

O corpo do sociólogo, educador, advogado e ensaísta Marcos Almir Madeira será velado até às 17 horas no Salão dos Poetas Românticos da Academia Brasileira de Letras, no centro do Rio de Janeiro. Depois, será celebrada uma missa e, então, o corpo seguirá para o crematório do cemitério do Caju, na zona portuária da cidade. O acadêmico, de 87 anos, morreu na noite deste domingo, de falência múltipla dos órgãos, no Hospital São Lucas, em Copacabana, onde estava internado há cerca de um mês, vítima de um acidente vascular cerebral.

Marcos Almir Madeira ocupava a cadeira 19 da ABL, desde agosto de 1993, sucedendo a Américo Jacobina Lacombe. Entre suas obras estão “A ironia de Machado de Assis e outros temas, estudos sociais, educacionais e literários” (1944); “Bacharelismo e tecnicismo” (1956); “A Revolução Francesa: a mensagem e o momento” (1990); e “Fronteira sutil entre a sociologia e a literatura” (1993). Madeira era viúvo e deixa duas filhas, netos e bisnetos.