Corinthians sofre para vencer a Macaca

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 20 de outubro de 2002 as 19:26, por: cdb

O Corinthians repetiu o resultado da final do Campeonato Paulista de 1977, que completou 25 anos na semana passada. Jogando no Pacaembu, o time de Parque São Jorge derrotou a Ponte Preta, por 1 x 0, com gol do meia Marcinho

Com o resultado, o Timão subiu à quarta colocação, com 34 pontos. Já a Ponte Preta continua na 11a colocação oito pontos a menos e começa a se distanciar da zona de classificação.

Além de um gramado castigado por causa dos recentes shows do Red Hot Chilli Peppers e Sandy & Junior, o Corinthians encontrou um adversário difícil de ser batido. A Ponte Preta veio ao Pacaembu com a missão de não sofrer gols no começo do jogo e tentar jogar no contra-ataque. E conseguiu.

Até aos 20 minutos da etapa inicial foi a equipe de Campinas quem teve as principais chances para abrir o placar. Piá, cobrando falta, e Caíco, que tentou encobrir o goleiro Doni, poderiam ter dado mais tranqüilidade à Ponte Preta.

Visivelmente, o time comandado por Carlos Alberto Parreira sentia falta do atacante Gil, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo contra o Gama, no último domingo. Por outro lado, o substituto Leandro não conseguia encontrar espaços pelo lado esquerdo.

Com esta dificuldade, o Timão optou pela direita. Rogério e Deivid buscavam encontrar espaços na defesa fechada da Macaca. Mas esbarravam na fraca atuação do atacante Guilherme, que errava muitos passes. Para piorar, o atacante recebeu o terceiro cartão amarelo e não poderá enfrentar o arquirival Palmeiras, na próxima quarta-feira (23).

Mesmo com o maior tempo de posse de bola, o Corinthians tinha pouca criatividade e não levava perigo ao gol de Alexandre Negri. O único lance que levantou a torcida corintiana foi por meio de uma jogada ensaiada de bola parada. Aos 33 minutos, Kleber rolou para Renato, que chutou no travessão.

Pelo menos no início do segundo tempo, o Corinthians mostrou mais vontade do que na etapa inicial. Sem o companheiro Gil, Kleber começou a se arriscar mais ao ataque. Já a Ponte Preta usava da mesma tática dos primeiros 45 minutos: esperar o Timão no campo de defesa para jogar no contra-ataque. Aos 13 minutos, quase deu certo. Caíco recebeu dentro da área, driblou o zagueiro Ânderson, mas chutou em cima do goleiro Dôni.

Com tantos erros, o técnico Carlos Alberto Parreira resolveu mexer na equipe. Sacou Vampeta, Renato e Leandro para colocar Fabrício, Juliano e Marcinho, respectivamente. De tanto insistir e ajudado pela falta de objetividade da Ponte Preta, o Corinthians chegou ao primeiro gol.

Aos 30 minutos, Marcinho recebeu de Rogério, driblou dois zagueiros e enfiou o pé na bola. Foi o primeiro gol do meia, ex-Jundiaí, no Campeonato Brasileiro.

CORINTHIANS 1 x 0 PONTE PRETA

Corinthians
Doni; Rogério, Ânderson, Fábio Luciano e Kléber; Vampeta (Fabrício), Fabinho e Renato (Juliano); Deivid, Guilherme e Leandro (Marcinho).
Técnico: Carlos Alberto Parreira

Ponte Preta
Alexandre Negri; Luciano Baiano, Marinho, Rodrigo e Elivélton; Roberto, Izaías, Piá e Caíco (Alex Oliveira); Lucas (Macedo) e Fabrício Carvalho (Hernani)
Técnico: Vadão

Data: 20/10/2002 (domingo)
Horário: 16h
Local: Pacaembu
Juiz: Sálvio Spínola Fagundes Filho (SP)
Cartões amarelos: Piá e Izaías (Ponte Preta); Guilherme (Corinthians)
Cartão vermelho:
Gols: Marcinho, aos 30 min do primeiro tempo