Copom tende a derrubar os juros, apostam analistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de abril de 2006 as 13:39, por: cdb

A taxa básica de juros (Selic) que atualmente é de 16,50% ao ano deverá cair para 15,75% na reunião que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central realiza nestas terça e quarta-feiras. Essa é, pelo menos, a expectativa de uma centena de economistas da iniciativa privada, pesquisados pelo BC na última quinta-feira para a tabulação do boletim Focus divulgado nesta segunda-feira.

Eles acreditam que, com inflação sob controle, a autoridade monetária tem condições de continuar o processo de redução dos juros. Por isso, projetam quedas gradativas nos meses seguintes, com possibilidade de encerrar o ano em 14%. Os analistas de mercado estão mais cautelosos, porém, quanto à redução dos juros no ano que vem, e estimam queda de apenas um ponto percentual, para 13%.

A boa nova no boletim Focus desta semana se refere ao aumento da confiança generalizada dos economistas sobre o reaquecimento da indústria. A projeção de produção industrial para este ano cresce há cinco semanas, e evoluiu de 4,33% para 4,48% na comparação com a pesquisa anterior, e manteve a expectativa de 4,50% para 2007.

O aumento não foi suficiente, contudo, para mexer com a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). A produção de todas as riquezas do país no ano estima crescimento de 3,50% há 50 semanas, e mantém estimativa de 3,70% para o ano que vem. Com isso, a relação entre dívida líquida do setor público e PIB continua em 50,50% neste ano e cai para 49% no ano que vem.

A pesquisa manteve, também, as projeções de US$ 40 bilhões para o saldo da balança comercial (exportações menos importações) de 2006, e de US$ 9 bilhões para o saldo de conta corrente, que envolve todas as transações comerciais e financeiras com o exterior. Isso, em um cenário no qual a cotação do dólar não ultrapasse R$ 2,20 no final deste ano e R$ 2,35 no encerramento de 2007.