Coordenador da Funasa no Maranhão continua refém de índios Guajajaras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de janeiro de 2005 as 02:54, por: cdb

O coordenador regional da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) no Maranhão, Zenildo Oliveira, e mais quatro funcionários do órgão, um médico, dois enfermeiros e um motorista, permanecem há mais de 24 horas reféns de índios Guajajaras, da aldeia Bananal na região de Grajaú.

Na terça-feira, em reunião na aldeia Morro Branco para tratar de assuntos de interesse da comunidade indígena, Oliveira se desentendeu com o cacique Raimundo Guajajara. Ao lado de outros índios, o cacique seqüestrou o coordenador com a intenção de garantir recursos médicos para sua tribo.

Segundo o superintendente da Polícia Federal no Maranhão, Francisco Leônidas Gomes da Silva, os reféns deverão permanecer na aldeia até o final da negociação com a Funasa e com a Funai. Os índios Guajajaras contam com o apoio de integrantes das aldeias de Amarante, Montes Altos, Sítio Novo e Grajaú.