Cooperação Tecnológica em HIV/Aids faz reunião no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 26 de janeiro de 2005 as 18:01, por: cdb

A Rede Internacional de Cooperação Tecnológica em HIV/Aids, que está participando de encontro aberto nesta quarta-feira, pode ser um forte instrumento de pressão para que países que atualmente não produzem medicamentos protegidos pela Lei Internacional de Patentes consigam uma licença para iniciar a produção dos remédios. Essa é a primeira reunião operacional da rede.

Além do Brasil, integram a rede a Ucrânia, Rússia, Tailândia, Nigéria e China. Índia e Cuba participam do encontro como observadores. Todos os países têm em comum a inclusão do combate à aids em suas políticas públicas de saúde, ao mesmo tempo em que contam com plataformas de pesquisa e desenvolvimento tecnológicos.

Durante os três dias de reunião, os participantes pretendem estabelecer uma agenda que apontem os interesses e objetivos compartilhados entre os seis países ou a realização de assinatura de acordos bilaterais voltados a interesses específicos.

A criação da Rede Internacional de Cooperação em HIV/Aids foi proposta pelo governo brasileiro na última Assembléia da Organização Mundial de Saúde, em Genebra, Suíça, em maio do ano passado, com o objetivo de reunir alguns países com capacidade de produção de medicamentos, para compartilhar tecnologias já existentes e desenvolver novas tecnologias de prevenção do HIV/Aids. O acordo foi assinado na última Conferência Internacional de Aids, realizada em julho de 2004, em Bancoc, na Tailândia.