Convocatória de organizações da Colômbia para a Cúpula dos Povos em Cartagena

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 28 de fevereiro de 2012 as 10:57, por: cdb

Nos dias 14 e 15 deabril de 2012, realizar-se-á, em Cartagena, Colômbia, a VI Cúpula das Américas,que reúne os presidentes de 34 países do continente, com o lema “Conectando asAméricas: Sócios para a prosperidade”. Essas cúpulas surgiram a partir dainiciativa dos Estados Unidos, cujo interesse era promover seus enfoques sobre livrecomércio e segurança hemisférica, por meio da ALCA.

No entanto, asituação está mudando nos últimos anos com os crescentes posicionamentosdiscrepantes de vários governos perante a agenda do governo estadunidense,promovendo esforços de integração regional autônoma como os propostos na ALBA,UNASUL e na Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELAC). Aconfluência dessas correntes governamentais com numerosos movimentos sociaisconduziu à derrota da ALCA na Cúpula de 2005 em Mar del Plata, Argentina.

Em 2009, durante aCúpula de Trinidad e Tobago, Obama prometeu um novo tipo de relação com aAmérica Latina, mas rapidamente frustrou as expectativas criadas. Avançou namilitarização do hemisfério, apoiou o golpe de Estado em Honduras e continuarespaldando o regime ilegítimo de Porfírio Lobo; radicalizou a “guerra” contrao narcotráfico, que apenas serviu para aumentar a militarização e a violência;não eliminou as sanções contra Cuba; não propôs mudanças na legislaçãomigratória e dá continuidade à tradicional posição hegemônica de Washington,tratando de fortalecer a OEA e os mecanismos de preponderância militar dos EUAna região.

Em resposta a todasas Cúpulas oficiais, os movimentos sociais do continente têm realizado cúpulasalternativas para expressar nossa posição aos mandatários reunidos frente aosproblemas reais e questionar a natureza das relações entre Estados Unidos e aregião. Cenário que se caracterizou como Cúpula dos Povos.

Na Colômbia, ogoverno de Santos aprofundou a dependência com os Estados Unidos; apóia suapolítica de guerra em nível mundial e aprofunda o modelo econômico que temlevado inúmeros países e o mundo à grave crise em que nos encontramos.Obstina-se em implementar os TLCs, acentuando a política neoliberal de flexibilizaçãotrabalhista, privatizações da saúde, da educação e dos serviços públicos,promovendo a concentração de terras e o favorecimento da especulaçãofinanceira, entre outros. Tudo isso tem conduzido a uma intensificação da crisesocial; aprofundando o empobrecimento, o desemprego, o deslocamento, a perda desoberania alimentar e cultural, a degradação do meio ambiente, adesindustrialização.

Os movimentossociais da Colômbia convocam a realização de uma Cúpula dos Povos, emCartagena, de 12 a 14 de abril, para debater e construir com nossos irmãos eirmãs da América um posicionamento conjunto acerca das relações hemisféricas eo papel da política dos Estados Unidos, apresentar nossas demandas aosgovernos, exigir que, na VI Cúpula, se debata nossa agenda e que sejadenunciada a política belicista da administração estadunidense.

Devemos exigir adesmilitarização do continente: eliminação das bases militares, supressão deexercícios militares conjuntos e eliminação do patrulhamento da IV frota,finalizar definitivamente a militarização com o pretexto da guerra contra onarcotráfico e sua substituição por uma política integral, multilateral e comênfase nas medidas de saúde pública.

Os governos docontinente devem restabelecer o direito a Cuba de pertencer ao sistemamultilateral. Exigir dos EUA o fim do bloqueio a Cuba e, por fim, terminar coma hostilidade sobre os governos que não seguem seus ditames.

Além disso, devemtambém transformar as relações econômicas baseadas nos tratados de livrecomércio, exportação de produtos básicos e promoção indiscriminada deinvestimento estrangeiro, procurando, em vez disso, relações de cooperação,benefício mútuo e aprofundamento dos processos de integração autônoma.

Para isso, devempreservar a capacidade de desenvolvimento nacional, o respeito aos direitoshumanos, econômicos, sociais e culturais, defender o meio ambiente e ascondições de vida digna para a população e atender as justas reivindicações detodos os movimentos populares do continente.

O encontro será em Cartagena,de 12 a 14 de abril, onde a Cúpula dos Povos construirá posições unificadas ealternativas.

***

CUT, CTC, FECODE, Reclame, Recalca, Minga Social y Comunitaria, Comité deEstudiantes Egresados del Sena, Polo Joven, OCE, Fundación la Chacana, El Espejo,Rebelarte, Populus Proyectos Comunitarios, Rebeldia Estudiantil Organizada,Asociación Minga. Ilsa, Cedetrabajo, La Real Academia del Sonido.