Congresso conclui preparativos para a posse da presidenta eleita Dilma Rousseff

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 31 de dezembro de 2010 as 13:35, por: cdb

Brasília – Os preparativos para a posse da presidenta eleita Dilma Rousseff e do vice-presidente eleito Michel Temer, no Congresso Nacional, amanhã (1º), estão praticamente concluídos. Apenas alguns detalhes estão sendo revisados para evitar que haja qualquer falha no protocolo. “Estou percorrendo os corredores, indo a todos os setores para verificar os últimos detalhes para a cerimônia”, dissea secretária geral do Senado e responsável pela solenidade, Cláudia Lyra.

Pelo cronograma montado, a presidenta eleita e o seu vice serão empossados em cerimônia que começa às 14h30m, no plenário da Câmara dos Deputados. Caberá ao presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, senador José Sarney (PMDB-AP), empossar Dilma e Temer após o juramento e assinatura do termo de posse no livro dos presidentes da República.

Dois esquemas foram montados para o acesso da presidente eleita e do seu vice para a posse. Se estiver chovendo, eles entrarão no prédio do Congresso pela sala da chapelaria e, se não estiver chovendo, a chegada de Dilma e Temer será pela rampa principal do Congresso. Os presidentes do Senado, José Sarney, e da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), vão receber a presidenta eleita e o vice à entrada da chapelaria, no caso de chuva, ou no início da parte plana da rampa do Congresso se o dia não estiver chovendo.

Sarney e Marco Maia vão conduzir os futuros empossados até o plenário da Câmara, onde já estarão as autoridades estrangeiras, as nacionais e os convidados especiais. Sarney abrirá a sessão e, em seguida, Dilma Rousseff e Michel Temer prestarão o compromisso constitucional “de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil”, com todos os convidados em pé.

Prestado o compromisso, o primeiro secretário da Mesa do Congresso Nacional fará a leitura do termo de posse do presidente e do seu vice. Nesta posse, a leitura será feita pelo terceiro secretário do Congresso, deputado Odair Cunha (PT-MG), uma vez que o primeiro secretário, deputado Rafael Guerra (PSDB-MG), não estará presente. Após a leitura, o termo de posse será assinado pelos eleitos Dilma e Temer. Em seguida, o presidente do Congresso declarará empossados Dilma Rousseff no cargo de presidenta da República Federativa do Brasil e Michel Temer no cargo de vice-presidente.

Empossados, a nova presidenta Dilma Rousseff fará seu discurso de posse, onde falará dos principais compromissos dela no exercício da Presidência da República em prol do desenvolvimento do Brasil e do povo. Encerrado o discurso, o senador Sarney fará um breve pronunciamento e encerrará a sessão. A nova presidenta e seu vice, acompanhados de Sarney e Marco Maia, seguem para o gabinete da presidência do Senado, onde ficam por alguns minutos.

Depois, os quatro vão até a sala da chapelaria ou ao Salão Negro, dependo do tempo, ouvem o Hino Nacional, a salva de 21 tiros de canhões. Dilma e Temer se despedem de Sarney e Maia. A presidenta Dilma Rousseff passa em revista as tropas e segue para a cerimônia no Palácio do Planalto, onde receberá a faixa presidencial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para a cobertura da cerimônia no Congresso Nacional foram credenciados 453 jornalistas, entre repórteres e fotógrafos, sendo que 122 vão trabalhar na rampa ou na chapelaria, 254 nos salões Negro e Verde e 77 no plenário da Câmara. Serão usadas 48 câmeras de televisão para o pool que vai gerar as imagens da cerimônia de posse, um helicóptero, além de centenas de pessoal técnico para a transmissão do evento.

Cerca de 400 agentes das policias legislativas da Câmara e do Senado cuidarão da segurança no interior do Congresso. Eles terão o apoio de agentes da Polícia Federal, que cuidarão da segurança das autoridades. A Polícia Militar e as Forças Armadas atuarão nas dependências externas do Congresso Nacional.

 

Edição: Aécio Amado